Publicado 14 de Outubro de 2021 - 9h22

Por Da Redação do Correio Popular

O aposentado Fernando Gramari foi forçado a desativar o telefone fixo para evitar mais amolação

Diogo Zacarias

O aposentado Fernando Gramari foi forçado a desativar o telefone fixo para evitar mais amolação

O excesso de ligações telefônicas desconhecidas, oriundas de várias partes do país, tem se tornado comum para muitos brasileiros. As chamadas, que acontecem em qualquer dia e horário da semana, oferecem diversos produtos e serviços, além de realizarem cobranças, muitas delas indevidas. Isso sem mencionar os contatos feitos por golpistas, Pesquisa realizada em setembro, pela Opinion Box revelou que 92% dos 2.125 entrevistados já receberam ligações indesejáveis de telemarketing, sendo que, destes, 72% relataram já ter conversado com algum golpista do outro lado da linha.

Em média, um usuário recebe aproximadamente 50 telefonemas considerados inoportunos ao longo do mês, de acordo com relatório feito pela empresa Truecaller. Ou seja, o Brasil é o país em que as pessoas mais recebem ligações de telemarketing no mundo. Para a advogada Cibele Chiacchio, após a sansão da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, no último mês de agosto, a prática irregular desse tipo serviço é caracterizado como crime.

"O meu marido é um exemplo desse estresse diário, pois começou a receber, depois de se aposentar, dezenas de ligações de bancos oferecendo empréstimos consignados", contou Cibele, que pretende entrar com uma ação judicial para tentar resolver incômodo. Segundo ela, o marido questionou um dos atendentes sobre como ele havia conseguido dados tão sigilosos, como o valor da parcela de um financiamento que possui. "A resposta foi que o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) tinha repassado as informações, o que nos surpreendeu, pois indica a possibilidade de que algum funcionário do órgão tenha vendido as informações", ressaltou.

A tentativa de golpe mais frequente no Brasil, segundo apontado pela Opinion Box, é a do falso sequestro, com 43% dos casos. O roubo de dados financeiros, que podem gerar grandes prejuízos, vem em segundo lugar, com 40%. É comum o relato de recém-aposentados que passaram a receber dezenas de ligações oferecendo empréstimos. Fernando Gramari, por exemplo, é uma das pessoas que sofrem com o excesso de telefonemas de diversas instituições financeiras.

Segundo ele, o celular toca, em média, 20 vezes ao dia. "É um desrespeito com a pessoa, pois uma hora acaba irritando. Além disso, em algumas oportunidades o contato torna-se inconveniente, pois o telefone pode tocar durante um compromisso", declarou. Segundo o aposentado, o que mais assusta é a quantidade de informações pessoais que os atendentes possuem. "Não consigo entender de que maneira essas instituições conseguem tantos dados pessoais, já que os atendentes mencionam valores sigilosos durante a conversa", afirmou.

Em virtude do excesso de telefonemas diários, Gramari passou a reconhecer alguns prefixos que ligam com frequência. "Quando me dou conta de que se trata de alguma empresa de telemarketing oferecendo serviços, não atendo", frisou. Gramari contou que, para evitar um incômodo ainda maior, o telefone fixo da sua residência foi desativado.

A Fundação Procon de São Paulo criou, em 2008, o sistema 'Não Me Ligue', que oferece o serviço de bloqueio do número, que fica inacessível às empresas de telemarketing. O projeto conta com um site onde o interessado pode se cadastrar e informar o número de telefone, caso seja o titular, para que o impedimento seja realizado. A serviço passa a valer 30 dias depois da solicitação do usuário, que pode registrar um telefone fixo ou um celular.

O sistema também bloqueia mensagens de texto por SMS ou por meio dos aplicativos, que instalados no celular do consumidor, como Whatsapp e Telegram. Para o assessor da diretoria do Procon de Campinas, Francisco Togni, o assédio de empresas sobre os consumidores é grande, mas estes dispõem de recursos para controlar os incômodos gerados pelos telefonemas indesejados. "Além de não receber telefonemas de telemarketing, é possível realizar uma reclamação, caso alguma empresa continue ligando", destacou.

Ao todo, segundo o Procon, desde a criação do serviço, o 'Não Me Ligue' conta com aproximadamente três milhões de números telefônicos cadastrados na plataforma. Além disso, o projeto já aplicou mais de R$ 250 milhões em multas às empresas que desrespeitaram a determinação após os 30 dias da solicitação. O bloqueio vale para empresas de telemarketing de todo o Brasil, segundo a plataforma. Os usuários interessados no serviço devem acessar o site www.bloqueio.procon.sp.gov.br para obter maiores informações.

Escrito por:

Da Redação do Correio Popular