Publicado 10 de Outubro de 2021 - 10h12

Por João Lucas Dionisio/Correio Popular

Pintada na cor rosa, aeronave da Azul ajuda a divulgar a campanha do Outubro Rosa, que tem por objetivo estimular a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama; ação conta com o engajamento dos funcionários

Ricardo Lima

Pintada na cor rosa, aeronave da Azul ajuda a divulgar a campanha do Outubro Rosa, que tem por objetivo estimular a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama; ação conta com o engajamento dos funcionários

Um avião comercial transporta todos os dias, além de passageiros, uma infinidade de histórias, sonhos e conquistas. A parir dessa constatação, a Azul Linhas Aéreas está promovendo diferentes ações de incentivo ao Outubro Rosa, que tem o intuito de alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Na última segunda-feira, por exemplo, a companhia reuniu convidados que embarcaram em voo que partiu do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, com destino a Campo Grande (MS). A viagem foi feita em aeronave pintada na cor rosa e com a presença de uma comitiva da empresa, formada por diretores, funcionários e influenciadores digitais. Todos foram visitar uma das unidades do Hospital de Amor, especializado no tratamento de câncer, que fica localizado na capital sul-mato-grossense.

Com uma tripulação formada apenas por mulheres, o voo contou com algumas surpresas, entre elas o relato da funcionária da Azul, Cleonice Antunes Quaresma, de 46 anos, que apontou o exame precoce como um dos principais fatores para vencer a doença. "Não consegui perceber a presença dos nódulos por meio do toque, por isso a importância da mamografia. Descobri o problema a partir do exame", revelou.

Há oito anos trabalhando na companhia aérea, Cleonice ainda se lembra do choque ao saber que estava com câncer. "Nenhuma pessoa consegue ficar tranquila ao receber uma notícia dessas, pois o medo da morte acaba tomando conta do emocional", explicou. Mesmo tendo superado o problema de saúde, a colaboradora da Azul faz questão de participar das ações da empresa durante o Outubro Rosa. Segundo ela, entrar em uma aeronave e poder contar um pouco da sua história de superação "também é uma vitória".

De conquistas, registre-se, Cleonice entende muito bem, já que faz parte das 'Vitoriosas da Azul', um grupo de funcionárias da companhia que enfrentaram problemas parecidos. A oportunidade de poder compartilhar esperança por dias melhores e de ressaltar a necessidade dos exames de rotina é tratada por ela como algo libertador. "Passei a enxergar a vida de uma maneira diferente, pois a vitória contra o câncer, infelizmente, não é tão comum", frisou Cleonice.

Experiente em campanhas da companhia, Cleonice revelou ter conhecido diversas pessoas que não teriam acesso ao tratamento se não fosse o estímulo da Azul. "São atitudes nobres e fundamentais para uma parcela da população", reforçou. Para viabilizar o tratamento da doença, a companhia aérea realiza, desde 2017, o Conexão Azul Rosa, que transporta mulheres, de maneira gratuita, para unidades mais próximas do Hospital de Amor. O projeto já beneficiou 182 pessoas, incluindo pacientes e acompanhantes.

Luana Gabrielly, de 23 anos, é uma das contempladas pela ação. Diagnosticada com câncer de mama, a jovem se desesperou ao saber que o tratamento específico só poderia ser feito em Barretos (SP). "Não possuía nenhuma condição financeira para arcar com os custos do deslocamento. A Azul entrou na história e propiciou o acesso ao tratamento necessário", contou ela, que disse estar grata pela ajuda da companhia e confiante na cura da doença. Luana perdeu a mãe em decorrência de um câncer. No entanto, acreditou ser desnecessário se submeter ao acompanhamento médico durante os anos seguintes. "Foi um erro, pois o correto seria realizar exames de mamografia regularmente", confessou.

Ao todo, segundo a companhia, perto de 12 milhões de clientes já foram impactados de alguma forma com as ações do Outubro Rosa, que na opinião do vice-presidente do Departamento de Pessoas e Clientes da Azul, Jason Ward, são prazerosas de serem realizadas. "É uma responsabilidade que carregamos há 11 anos", destacou. No entanto, segundo ele, o tema não deve ser discutido durante apenas um mês, mas sim ao longo de todo o ano. "A conscientização deve ser feita diariamente. Temos a intenção de implementar o uniforme rosa da tripulação em outros períodos", adiantou o executivo, que contou ter perdido a sogra por complicações do câncer.

O objetivo das ações da companhia durante o Outubro Rosa, conforme Ward, é realizar parcerias que possam realmente auxiliar as pessoas. "Não queremos apenas veicular a marca ou doar uma quantia financeira, mas sim envolver os funcionários da empresa com a causa", reforçou.

Escrito por:

João Lucas Dionisio/Correio Popular