Publicado 09 de Outubro de 2021 - 9h10

Por Rodrigo Piomonte/ Caderno C

Em Campinas, dos 264 mil jovens entre 18 e 29 anos, apenas 70% tomaram a primeira dose e menos de 50% cumpriram o ciclo completo de imunização contra a covid-19

Kamá Ribeiro

Em Campinas, dos 264 mil jovens entre 18 e 29 anos, apenas 70% tomaram a primeira dose e menos de 50% cumpriram o ciclo completo de imunização contra a covid-19

A campanha de vacinação contra a covid-19 em Campinas, considerada uma das melhores e mais eficientes do país, enfrenta um problema momentâneo na busca pelos 100% de imunização completa do público adulto acima de 18 anos. A cobertura vacinal de primeira dose para as pessoas entre 18 e 29 anos preocupa as autoridades em saúde do município por estar abaixo dos 70%, mesmo com dois meses completos da abertura dos agendamentos para essa faixa etária.

De acordo com os dados divulgados no último boletim covid-19 pela Secretaria Municipal de Saúde, de um público estimado de 264 mil pessoas pertencentes a essa faixa etária, aproximadamente 183 mil (70%), tomaram a primeira dose nos centros de imunização disponíveis no município. O número de jovens entre 18 e 29 que estão com o ciclo completo de vacinação é de 110 mil, menos de 50% do público alvo dessa faixa etária. Especialistas expressam preocupação com a baixa adesão e a Secretaria de Saúde reforça que os agendamentos para esse público seguem abertos.

Ainda conforme os números, se observada a faixa etária dos jovens adultos de forma separada, apenas 34% dos que têm entre 18 e 24 anos apresentam a cobertura vacinal completa (contingente estimado em 147,8 mil pessoas). Entre os que têm de 25 a 29, somente 48,5% receberam duas doses ou dose única (117 mil pessoas). Apesar de ser um público que, aparentemente, tem maior acesso à internet e ao agendamento online, e que está mais ligado em redes sociais e notícias, a Prefeitura precisou reforçar a comunicação para convencer essa população a buscar pela vacinação.

Até o fim da tarde desta quinta-feira (7), a Prefeitura informou por meio de nota oficial que possuía 30 mil vagas para imunizar todos os jovens adultos. Ou seja, dos 40 mil horários disponíveis no processo de agendamento aberto na segunda-feira, segundo informações da Administração, somente 10 mil foram preenchidos até anteontem. Esse melhorou na sexta (8), segundo a Administração, por causa da divulgação de nova abertura de agendamentos, mas a percepção é que a adesão poderia ser melhor.

A dificuldade para obter a adesão desse público à campanha de imunização segue sendo um desafio para as autoridades de Saúde. Em dois meses e dois chamamentos públicos de abertura de agendamentos, um no dia 10 de agosto, e outro no dia 20 de setembro, 47,8 mil pessoas de 18 a 24 anos ainda não haviam tomado sequer a primeira dose da vacina.

Para o médico infectologista André Giglio Bueno, da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), dois fatores podem explicar essa baixa adesão dos jovens adultos à campanha de imunização. O primeiro, segundo ele, é o fato de muitos estarem ativos no mercado de trabalho e, com isso, terem dificuldade em acessar os centros de imunização para receberem a vacina.

Outro ponto, conforme o especialista, é ainda mais preocupante. "Os jovens dessa faixa etária podem se colocar em uma posição de que não precisam de imunização, já que os riscos de complicações em caso de contaminação para esse público são de fato mais baixos. Isso, sem dúvida, influencia no comportamento, pois as hospitalizações e óbitos para essa faixa etária são menores", explicou o especialista.

A médica infectologista Raquel Stucchi, da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), também expressa preocupação. "A baixa adesão é muito preocupante. Quero acreditar que seja em função da comunicação. Quero entender que a recusa da vacina deve ser pequena, como foi em outras faixas etárias", disse.

A demora deste público em procurar a vacinação pode restringir o bloqueio contra o vírus da covid-19 na cidade, atrasando o trabalho de cobertura vacinal total. Porém, segundo a Prefeitura, uma divulgação específica para esse público não deve ocorrer. A Administração Municipal reforça que os agendamentos estão abertos e que realizou uma nova divulgação para o público maior de 18 anos. Os adultos entre 18 e 29 anos que ainda não receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19 devem fazer o agendamento por meio do site https://vacina.campinas.sp.gov.br ou pelo telefone 160. Segundo a Prefeitura, qualquer pessoa que encontrar dificuldades para realizar o agendamento deve procurar o centro de saúde mais próximo e pedir ajuda. As vacinas estão sendo aplicadas nos 64 centros de saúde do município. Apenas os CSs Boa Esperança, Carlos Gomes e Campina Grande não realizam a vacinação.

Escrito por:

Rodrigo Piomonte/ Caderno C