Publicado 11 de Setembro de 2021 - 11h34

Por João Lucas Dionisio/Correio Popular

Durante as comemorações, funcionários do hospital foram homenageados pela dedicação aos pacientes infectados pelo novo coronavírus

Kamá Ribeiro

Durante as comemorações, funcionários do hospital foram homenageados pela dedicação aos pacientes infectados pelo novo coronavírus

Inaugurado em 1979, o Hospital e Maternidade PUC-Campinas Celso Pierro, que pertence à Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC), completou 42 anos em 2021. Para comemorar a data, a entidade promoveu ontem um evento solene e homenageou alguns profissionais da saúde, que passaram os últimos meses na linha de frente do combate ao novo coronavírus. A cerimônia contou com a presença de autoridades, como o prefeito Dário Saadi. O filósofo Mário Sérgio Cortella foi convidado para ministrar palestra aos presentes. Além disso, foi realizada uma missa, presidida pelo bispo da Arquidiocese de Campinas, Dom João Inácio Müller, na Igreja Nossa Senhora da Esperança, que fica localizada dentro do complexo.

A comemoração de aniversário do hospital, segundo o superintendente Antônio Celso De Moraes, é realizada a cada cinco anos. Uma solenidade extra foi realizada este ano, para agradecer os profissionais que arriscaram a vida pelo bem do próximo. "O hospital foi obrigado a se adaptar e superar os diversos desafios impostos pela pandemia, por isso a gratidão aos colaboradores", reforçou Moraes. Durante as fases mais críticas da covid-19, segundo ele, o hospital chegou a registrar mais de 300 funcionários afastados em decorrência do novo coronavírus, sendo que três deles morreram em decorrência da doença.

Durante o ato solene, um vídeo comemorativo trouxe relatos de dois pacientes que se infectaram com a covid-19 e passaram semanas internados no hospital. A emoção tomou conta de muitos dos presentes. Desde o começo da pandemia, a unidade hospitalar recuperou 8.946 pacientes contaminados novo coronavírus, mas também registrou a morte de 265 pessoas por conta da doença. Após a exibição do vídeo, alguns colaboradores, como médicos, enfermeiras, pesquisadores e auxiliares de limpeza, foram chamados ao palco e receberam uma placa de agradecimento pelos serviços prestados.

O complexo hospitalar possui, atualmente, 354 leitos, sendo 225 destinados aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Para o prefeito de Campinas, Dário Saadi, a importância do hospital para o município ficou ainda mais evidente durante a pandemia. "É um dos pilares centrais para o andamento do sistema de saúde, principalmente com relação ao atendimento de pacientes pelo SUS", destacou Saadi, que se formou em medicina pela PUC-Campinas na década de 80.

Dário se disse emocionado com o convite. "Quero demonstrar minha gratidão como ex-aluno e, como prefeito, fico feliz de poder, em nome de toda a população, agradecer a PUC pelos excelentes serviços prestados durante os 42 anos." Germano Rigacci Júnior, reitor da instituição, afirmou que a grande característica do hospital é saber lidar muito bem com o sofrimento humano. "A população carente desta região, além de receber todos os cuidados para diminuir seu sofrimento, encontra esperança de dias melhores".

Em 1973, a ideia de construir um complexo hospitalar no local surgiu após o médico Celso Pierro adquirir uma área com 400 mil metros quadrados na Avenida John Boyd Dunlop. Lá, ele iniciou a implantação de uma 'Cidade da Saúde'. Porém, com o falecimento do idealizador em 1977, a família doou o terreno à universidade, que deu sequência ao projeto. Assim que o hospital foi concluído, a PUC-Campinas batizou-o com o nome do seu benfeitor. O hospital foi inaugurado em 1978, com 150 leitos, mas a primeira cirurgia ocorreu apenas no ano seguinte, marcando, de fato, o início do funcionamento da unidade.

Escrito por:

João Lucas Dionisio/Correio Popular