Publicado 22 de Julho de 2021 - 10h13

Por Correio Popular

Vinicius Coimbra, colaborador da Casa de Jesus:

Diogo Zacarias/Correio Popular

Vinicius Coimbra, colaborador da Casa de Jesus: "Queremos oferecer um pouco de dignidade para essas pessoas"

Com o propósito de amparar as pessoas em situação de rua durante o inverno, o Centro Espírita Casa de Jesus está transformando guarda-chuvas e sombrinhas em sacos de dormir. O projeto depende de doações desses objetos por parte da população, e a entidade pretende ajudar o maior número possível de indivíduos que, diariamente, dormem na rua, enfrentando as baixas temperaturas da atual estação.

De acordo com dados do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), na última terça-feira foi registrado o dia mais frio do mês de julho desde o ano 2000, com os termômetros marcando 4ºC às 6h50. Por causa da onda de frio que tem atingido a cidade, a preocupação com essas pessoas em situação de vulnerabilidade aumentou, visto que elas vivem ao relento. A situação é mais grave durante a noite, período no qual as temperaturas são mais baixas.

Um dos colaboradores responsáveis pela campanha na Casa de Jesus, Vinicius Pedreira Coimbra, ressalta que a ideia original partiu de algumas igrejas católicas localizadas na cidade de São Paulo. A instituição recebeu informações sobre a iniciativa pelas redes sociais e decidiu, então, replicar a ação em Campinas.

"Uma das nossas funções é a caridade. Queremos oferecer um pouco de dignidade para as pessoas em vulnerabilidade social. No caso, queremos garantir um mínimo de conforto para o sono e o descanso delas", diz Coimbra.

Além de proteger do frio, o colaborador detalha que essa espécie de manta pode servir como um abrigo contra chuva e evitar que a pessoa tenha contato diretamente com o chão, eliminando alguns riscos de contaminações. A produção, segundo ele, começou há pouco tempo.

"Pelo contato que tivemos com o pessoal de São Paulo, que foi onde tudo começou, e após produzir um molde, percebemos que não se trata de algo muito trabalhoso. São necessárias apenas algumas noções de corte e costura", detalha Coimbra.

Segundo a Casa de Jesus, é possível produzir um saco de dormir a cada cinco guarda-chuvas arrecadados. A campanha não tem uma meta de produção, mas, segundo o colaborador responsável, "quanto mais recebermos, melhor, já que temos a intenção de ajudar o máximo de pessoas possível."

A ideia é entregar esses materiais de proteção em diversas regiões, uma vez que, conforme Coimbra, as pessoas necessitadas estão espalhadas por toda a cidade.

O advogado Filipe Luna de Castro é o criador de um grupo nas redes sociais que se chama Campinas Invisível, cuja proposta é contar as histórias dessas pessoas que estão em situação de rua, além de promover campanhas solidárias. Para ele, houve um aumento perceptível de homens e mulheres nessas condições. De acordo com ele, o problema já existia e se agravou por conta da pandemia da covid-19.

Segundo dados divulgados pela Prefeitura no começo do ano passado, cerca de 900 pessoas vivem nas ruas da cidade, em condição de vulnerabilidade.

"Estou envolvido em projetos há sete anos e, historicamente, não existe um levantamento sobre essa população, por conta da dificuldade em mapear essas pessoas. Muitas transitam entre as cidades, outras não dormem na mesma região diariamente e isso acaba tornando a pesquisa inviável", conta Castro.

A atenção com as pessoas que estão expostas diariamente às baixas temperaturas, principalmente durante a madrugada, é importante, segundo Ana Maria Guimarães Andrade, médica do Hospital Vera Cruz.

"Quando o indivíduo fica exposto ao frio intenso por muito tempo, pode acabar desenvolvendo uma hipotermia, situação que pode levar à morte. Uma pessoa pode morrer de frio quando a temperatura fica abaixo dos 10 graus", adverte a médica.

Felipe Castro ressalta que fica feliz em ver campanhas como a que transforma guarda-chuvas em sacos de dormir. "A atitude de aquecer quem precisa acalora internamente quem está ajudando. Acredito que pequenos gestos diários são capazes de ajudar todos aqueles que necessitam".

Doações

As doações para a campanha solidária contra o frio podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na secretaria da Casa de Jesus, localizada na Rua João Alves dos Santos, 770, no Jardim das Paineiras, em Campinas.

Para que a instituição consiga produzir os sacos de dormir, são necessárias doações de guarda-chuvas, sombrinhas e tecidos de nylon. O projeto não tem prazo de duração e, segundo os organizadores, pela importância, será permanente. Entretanto, quanto antes forem feitas as doações, mais rapidamente serão produzidos e distribuídos os sacos de dormir.

Escrito por:

Correio Popular