Publicado 12 de Junho de 2021 - 10h45

Por Da redação

Marynes Silva e os cachorros que acolhe: uso de parte da aposentadoria para manter os animais

Kamá Ribeiro/Correio Popular

Marynes Silva e os cachorros que acolhe: uso de parte da aposentadoria para manter os animais

Embora não haja números oficiais em Campinas, a vida dos animais que são cuidados por protetores piorou muito durante a pandemia de covid-19. Ocorre que, com a diminuição das doações devido à crise financeira, voluntários da causa animal têm passado apertado para conseguir alimentar os bichos. Dessa forma, a situação que já era ruim, agora está crítica.

Um dos exemplos vem do Abrigo Adorável Vira-Lata Proteção e Amor, que registrou queda de 70% nos donativos do ano passado para cá. "Mesmo com ração de menos, a fome dos bichos é a mesma, e precisamos dar um jeito", afirma a aposentada Marynes Silva, fundadora do espaço. "Há 11 anos sou protetora, mas nunca vi uma situação tão difícil quanto agora. Tivemos que suspender os resgates. Temos feito vários apelos pelas redes sociais, mas a situação está ruim para todos, e não conseguimos nada", acrescenta.

Atualmente, o abrigo sustenta 60 cães - todos resgatados de maus-tratos. Para alimentá-los, são necessários dez quilos de ração por dia, fora as despesas com vacinas, vermífugos, antiparasitários e procedimentos veterinários. "As doações caíram, mas os abandonos aumentaram. Recebemos cerca de dez pedidos de resgate por dia. O último que conseguimos atender foi o caso de cinco filhotes, que foram jogados no meio do mato, no Jardim Campo Belo. É que além da dificuldade financeira em si, ainda temos que lidar com a falta de responsabilidade e de amor das pessoas", desabafa a aposentada.

Com a chegada do frio, conta Marynes, também há a necessidade de se arrecadar cobertores, casinhas, caminhas e tudo o que possa aquecer os animais. A cuidadora afirma que o Adorável Vira-Lata não conta com qualquer ajuda governamental. Sobrevive da contribuição que sai da aposentadoria da enfermeira, de dações de terceiros e de um bazar, criado por Marynes para conseguir levantar recursos. Quem quiser ajudar, deve entrar em contato pelo WhatsApp (19) 9-9270-5779.

Um empresa de ração de Campinas é uma das companhias brasileiras que ajudam ONGs e protetores independentes a alimentarem animais carentes, por meio de doações. "A gente tem esse trabalho social muito forte, e acha extremamente importante o apoio das empresas de nutrição animal porque essas entidades cuidam, castram e encaminham para adoção. Sem fins lucrativos, elas precisam de ajuda para que possam dar de comer a esses animais", afirma o diretor Mario Cleto.

Quanto ao fato de ainda existirem animais de rua, o empresário lembra que esse "é um problema muito sério, de maus-tratos". Criada em agosto de 2018, a empresa doa, desde a primeira produção, parte da ração para protetores. Além disso, criou e promove nas redes sociais a campanha #MEADOTA, em prol de cães e gatos em busca de um lar.

Escrito por:

Da redação