Publicado 05 de Junho de 2021 - 10h39

Por Mariana Camba/Correio Popular

A jornalista Cinthia Maria Dias Lourenço recebe a primeira dose da vacina:

Diogo Zacarias/Correio Popular

A jornalista Cinthia Maria Dias Lourenço recebe a primeira dose da vacina: "vou continuar usando máscara e álcool em gel"

O segundo Dia D da vacinação contra a covid-19 em Campinas ocorreu ontem, entre às 9h e 17h, com a participação de 1,2 mil profissionais da área da saúde. A imunização ocorreu em 67 locais, sendo 62 Centros de Saúde (CS) e cinco Centros de Imunização. A expectativa da Prefeitura era vacinar 25.682 pessoas. De acordo com balanço parcial divulgado às 18h30 de ontem, 22.529 foram imunizadas. O primeiro Dia D ocorreu em 22 de maio, quando 23.612 pessoas receberam o imunizante contra o novo coronavírus.

De acordo com a coordenadora do Centro de Saúde Costa e Silva, Liliane Cristina Ferraz Grule, a segunda edição do Dia D ocorreu nos moldes da primeira. Cada CS tinha 336 agendamentos para cumprir durante a ação. O período da manhã foi o que registrou maior movimento. "Algumas pessoas chegaram ao CS antes do início do expediente, por isso foi formada uma fila logo cedo. Mas não houve aglomeração. Tudo foi muito tranquilo", afirmou a coordenadora. Apenas as vacinas da Astrazeneca foram aplicadas ontem. Para quem recebeu o imunizante, é necessário esperar 12 semanas para receber a segunda dose.

Liliane explicou que as ações são importantes, para que um maior número de pessoas possa ser vacinado em um dia. A estrutura de vacinação é ampliada durante o Dia D, pois os Centros de Saúde suspendem os demais atendimentos e focam apenas na imunização contra a covid-19. "Se mantivéssemos as atividades normais, não iríamos dar conta de vacinar todas as pessoas que fizeram o agendamento", afirmou. Por isso, acrescentou, as ações são estratégicas, pois permitem adiantar o processo de vacinação em Campinas. A prioridade na imunização ontem era para as pessoas com 30 anos ou mais, com comorbidades. Além das pessoas que fizeram agendamento, também foram providenciados alguns "encaixes", como forma de ampliar ao máximo a cobertura.

Liliane afirmou que a terceira edição do Dia D para a imunização contra o novo coronavírus está confirmada. A ação vai ocorrer no próximo sábado, dia 12 de junho, no mesmo horário, das 9h às 17h. A vacina contra a covid-19 está sendo aplicada em Campinas desde o final de janeiro, mas ainda existem pessoas com dúvidas sobre quais grupos são prioridade em cada etapa de imunização.

Ontem, um senhor foi até o Centro de Saúde Costa e Silva para receber a vacina, enquanto a equipe de reportagem estava no local. Mas ele não fazia parte dos grupos de risco que estão sendo atendidos. "Ainda tem confusão por parte da população sobre quem pode ou não receber a dose. Não são muitas pessoas, pois a maioria se prepara e checa as informações com antecedência. Mas, quando isso acontece, fazemos o possível para explicar quem de fato está incluso no plano de imunização", concluiu Liliane.

A jornalista Cinthia Maria Dias Lourenço, 48 anos, recebeu a vacina contra a covid-19 ontem.

Mesmo imunizada, ela garantiu que vai continuar mantendo os cuidados necessários contra o Sars-Cov-2. "Agora faço parte do grupo que recebeu a primeira dose. Mas essa não é a única barreira contra o vírus que temos acesso. Vou continuar usando máscara e álcool em gel até que todos estejam vacinados. Até lá, ninguém está livre da doença", afirmou. Giovana Marião, 39 anos, ficou emocionada ao receber o imunizante. Ela contou que perdeu o pai para o novo coronavírus recentemente, por isso receber a vacina foi tão importante. "Estou aliviada por ter conseguido me proteger", declarou.

Escrito por:

Mariana Camba/Correio Popular