Publicado 03 de Junho de 2021 - 11h21

Por Agência Estado

O governador João Doria: imunização em

Diogo Zacarias/Correio Popular

O governador João Doria: imunização em "ritmo agressivo"

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou ontem que todos os brasileiros acima de 18 anos residentes no Estado de São Paulo estarão vacinados com a primeira dose de imunizante contra a covid-19 até o fim de outubro. O intervalo para a segunda dose varia entre quatro a 12 semanas, dependendo da vacina recebida. Dessa forma, a imunização completa só aconteceria em janeiro do próximo ano.

Doria também anunciou que a vacinação para pessoas com comorbidade e com deficiência será ampliada no dia 7 de junho. Pessoas acima de 18 anos com essas condições poderão se vacinar. O governador disse, ainda, que a vacinação para professores entre 45 e 46 anos foi antecipada e começará no dia 9 de junho.

Doria pediu ao Parlamento Europeu e à presidência da União Europeia que autorizem a entrada de pessoas imunizadas com a Coronavac. O imunizante foi aprovado para uso emergencial pela OMS na última terça-feira, mas ainda não entrou na lista das vacinas que dão "luz verde" para os turistas entrarem na Europa. "Por enquanto, nós precisamos que a Comissão Europeia faça essa aprovação (da Coronavac)", disse Patricia Ellen, secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Até a terça-feira, dia 1º, pelo menos 3.291.509 pessoas foram infectadas pelo coronavírus no Estado de São Paulo, sendo que 112 210 morreram em decorrência da covid-19. Os leitos de UTI têm taxa de ocupação de 81,9% no Estado e 78,9% na Região Metropolitana de São Paulo. Já os leitos de enfermaria estão com ocupação de 64,2% no Estado e 62,6% na Região Metropolitana de São Paulo.

Dia D

O Estado de São Paulo promove no próximo sábado, 5, o Dia D para aplicar a segunda dose da vacina contra Covid-19 em quem não compareceu aos postos nos prazos indicados para receber a imunização completa e garantir a proteção contra a doença. "Iremos fazer uma grande ação de apoio aos municípios para que possam, além de aplicar a segunda dose, realizar a digitação e atualização das vacinas que por ventura não foram registradas na plataforma Vacivida", afirmou Regiane de Paula, coordenadora do Plano Estadual de Imunização (PEI).

A iniciativa é dedicada exclusivamente a alcançar mais de 400 mil pessoas que não completaram o seu esquema vacinal, ou seja, receberam apenas a primeira dose e perderam o prazo da segunda - 28 dias para a vacina do Butantan e 12 semanas para a da Fiocruz/Astrazeneca. Em parceria com os municípios, mais de 5 mil pontos de vacinação no Estado estarão abertos das 7h às 18h.

Levantamento atualizado pela Secretaria de Estado da Saúde, ontem, aponta que 442 mil pessoas estão com a segunda dose em atraso, somando 172 mil relacionados à vacina da Fiocruz e 270 mil do Butantan.

Os números de hoje evidenciam que mais de 59 mil pessoas que estavam com esta pendência compareceram aos postos nos últimos sete dias, uma vez que havia mais de 501,6 mil faltosos conforme balanço do dia 28 de maio. O governo do Estado vai repassar até 3 milhões de reais referentes a etapas (valor extra) para que as prefeituras possam programar e remunerar seus profissionais e equipes que trabalharão no Dia D. Além disso, a Secretaria da Saúde encaminhou na semana passada 279.815 doses extras de vacina do Butantan para cerca de 500 cidades utilizarem unicamente para aplicar a segunda dose.

Escrito por:

Agência Estado