Publicado 02 de Junho de 2021 - 17h40

Por Edson Silva/Correio Popular

Produtos da falsa destilaria do Jardim São Judas: fraudadores davam preferência para a marca Jack Daniel's

Deic Campinas

Produtos da falsa destilaria do Jardim São Judas: fraudadores davam preferência para a marca Jack Daniel's

Dois galões, com ao menos 100 litros, um de uísque falsificado e o outro, de álcool puro, que seria misturado à bebida, foram apreendidos nesta terça-feira (1) na região do bairro São Judas, entre os distritos do Campo Grande e Ouro Verde, em Campinas. No local de envasamento clandestino, policiais civis apreenderam ainda 103 garrafas já cheias com bebidas falsificadas, 39 vazias e mais de 200 tampas metálicas prontas para serem usadas para lacrar as bebidas falsificadas.

Um suspeito foi detido no local e encaminhado à Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic de Campinas). Segundo os policiais, a ação foi em continuidade às investigações de fábricas clandestinas voltadas a falsificações de marcas famosas de uísques, como Jack Daniel's, White Horse, Johnnie Walker, entre outros, que acabam comercializados em redes sociais, adegas, mercados, bares, festas e boates da cidade, a preços abaixo do mercado.

Como tem ocorrido durante as operações, mais uma vez os policiais civis identificaram um local onde eram envasadas bebidas de maneira totalmente precária e sem qualquer higiene. O responsável pela fábrica clandestina, um homem de 31 anos, foi preso em flagrante dentro do imóvel onde estava parte dos uísques já falsificados.

Os galões com uísque falsificado e álcool usado na mistura das bebidas eram despejados em um tanque de lavar roupas e, dali, por meio de canecos e funil, os líquidos eram injetados nas garrafas reutilizadas, que ,finalmente, recebia lacres, “prontas” para serem vendidas.

Em maio, policiais civis de Campinas e região fizeram várias ações de combate a esse tipo de crime, com prisões e indiciamentos, principalmente em Campinas e ainda em Indaiatuba e Paulínia.

As operações, entre os dias 5 e 20 de maio, resultaram na apreensão de mais de 1.000 garrafas nas três cidades. A polícia aguarda os laudos que vão indicar os tipos de substâncias encontradas ontem com o homem acusado de falsificar bebidas, que não soube dizer se o álcool era etanol ou qualquer outra substância nociva à saúde.

O acusado foi autuado por crime de falsidade de produto alimentício e, por possuir antecedentes por roubo e foi encaminhado à cadeia anexa ao do 2º Distrito Policial de Campinas (São Bernardo).

Escrito por:

Edson Silva/Correio Popular