Publicado 26 de Maio de 2021 - 12h15

Por Da redação

Nesta terça-feira, os campineiros foram surpreendidos pelo frio intenso que chegou a 7,9 graus, porém a sensação térmica era de 4 graus, o que levou muita gente a tirar o agasalho do armário

Diogo Zacarias/Correio Popular

Nesta terça-feira, os campineiros foram surpreendidos pelo frio intenso que chegou a 7,9 graus, porém a sensação térmica era de 4 graus, o que levou muita gente a tirar o agasalho do armário

A manhã mais fria do ano, até o momento, foi registrada ontem, segundo a meteorologista do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), Ana Ávila. Às 7h20 foi registrada a menor temperatura de 2021, 7,9ºC, com sensação térmica de 4,2ºC. A impressão de mais frio ocorreu por causa do vento, que chegou a 8,5 quilômetros por hora às 7h10. De acordo com Ana, apesar da velocidade não ser considerada tão alta, as rajadas foram bem frias. Até então, a temperatura mais baixa tinha sido registrada na última quinta-feira, 20, com 11,2ºC.

Uma massa de ar de origem polar provocou o declínio acentuado da temperatura, de acordo com a meteorologista. No último sábado, chegou uma frente fria na região de Campinas, que trouxe chuva e um clima mais gelado. "A precipitação foi significativa. Registramos 18 milímetros durante o final de semana.

Desde o dia 28 de março que não tínhamos uma chuva tão volumosa", observou.

O tempo mais gelado começou a ser sentido na última segunda-feira, segundo a meteorologista. A partir de hoje, a expectativa é que a temperatura comece a aumentar gradualmente. A mínima deve chegar aos 11ºC nesta quarta-feira. O frio prevalecerá nas manhãs e noites. No decorrer da tarde, as temperaturas tendem a se elevar. "Pode ser que entre hoje e amanhã tenhamos mais nuvens no céu, o que deve gerar algumas precipitações localizadas", comentou.

Segundo a metereologista, a massa de ar frio é seca, por isso a tendência é que a umidade do ar permaneça baixa. A Defesa Civil de Campinas informou ontem, que devido ao baixo índice da umidade que chegou a 28,7%, a cidade entrou em Estado de Atenção às 12h. De acordo com Ana, o tempo mais seco deve permanecer até o final desta semana.

Vendas aquecidas

De acordo com a funcionária de uma loja de roupas do Centro de Campinas, Rosana Pereira Rodrigues, a queda na temperatura refletiu no aumento das vendas de roupas de frio. A procura dos clientes por jaquetas, casacos e moletons aumentou cerca de 80% desde segunda-feira, segundo Rosana. "Acredito que se continuar esse tempo mais gelado, as vendas vão continuar aquecidas. As pessoas chegam à loja com o intuito de fazer um estoque para encarar as manhãs e noites geladas", afirmou.

Para a comerciante, Maria José da Silva, 63 anos, o frio registrado ontem ainda não foi o suficiente para movimentar as vendas dos cachecóis que ela produz. Apesar disso, Maria continua praticando o crochê e preparando o estoque caso a temperatura caia ainda mais nos próximos dias. "Desde 1987 tenho a banca no Centro. É uma tradição fazer o cachecol para essa época do ano. Acredito que as pessoas ainda não estão comprando tanto, pela falta de dinheiro", informou.

A segurança Lana Alícia Araújo Ramos, 41 anos, se assustou com o clima gelado na manhã de ontem, quando saiu para trabalhar. Para ela, o frio chegou antes do esperado. "O jeito foi me esquentar no sol. Somente depois do almoço que pude tirar o casaco. Neste final de semana senti o tempo mudar, por isso decidi comprar roupas de frio, o que não fazia há 10 anos", ressaltou.

Escrito por:

Da redação