Publicado 23 de Maio de 2021 - 13h26

Por Gilson Rei/Correio Popular

A fotógrafa Carolina Engler recebe a primeira dose da vacina contra a covid-19 no posto de saúde de Barão Geraldo

Ricardo Lima/Correio Popular

A fotógrafa Carolina Engler recebe a primeira dose da vacina contra a covid-19 no posto de saúde de Barão Geraldo

No Dia D da Vacinação contra a covid-19 em Campinas, foram imunizadas ontem aproximadamente 21 mil pessoas com mais de 45 anos que têm doenças crônicas (comorbidades), pacientes com doenças neurológicas e motoristas do transporte público, além dos demais grupos já incluídos na vacinação. A ação abrangeu 60 centros de saúde e cinco centros de imunização, das 9 às 17h.

O atendimento realizado foi tranquilo porque seguiu a estratégia de agendamento da Prefeitura, que é realizado pelo site vacina.campinas.sp.gov.br ou pelo telefone 160. O processo de agendamento evita grandes filas, reduz o tempo de espera dos vacinados nos centros de saúde e possibilita o distanciamento mínimo de dois metros entre as pessoas. Sete centros de saúde da cidade não participaram ontem da vacinação: Boa Esperança, Carlos Gomes, Campina Grande, Valença, Florence, Itajaí e Lisa.

A Secretaria de Saúde informou que, até sexta-feira passada, já haviam sido aplicadas 411.329 doses da vacina contra a covid-19 em Campinas. Desse total, 266.212 pessoas receberam a primeira dose e 145.117, a segunda.

Rosana Maria Von Zuben Moura, coordenadora do Distrito de Saúde Norte, destacou ontem a importância do Dia D. "O objetivo é impactar positivamente no combate ao novo coronavírus, ao incluir pessoas com mais de 45 anos que apresentam comorbidades, pacientes que têm doenças neurológicas, e motoristas do transporte público, para que a gente continue aumentando a cobertura vacinal na cidade", comentou.

A coordenadora ressaltou também que o movimento foi intenso ontem nos 12 centros do Distrito de Saúde Norte, totalizando aproximadamente 5 mil vacinações nessa região. "A adesão está sendo satisfatória e não houve problemas com a apresentação da documentação das pessoas que agendaram", afirmou.

Juliana Martins de Camargo Bachin, coordenadora da Vigilância em Saúde Norte, reforçou que o sistema de agendamento adotado está permitindo uma vacinação segura e dentro das expectativas, sem colocar em risco a população a ser vacinada, nem os profissionais que atuam nos centros de saúde e de imunização. "O objetivo é ampliar a vacinação ao máximo e manter as medidas de isolamento, higienização e uso de máscaras para conseguir vencer essa batalha contra o vírus", comentou.

Durante a semana, dez grupos da população poderão continuar sendo vacinados em Campinas nos cinco centros de imunização, sempre por meio de agendamento.

Ansiedade e alegria pela imunização

Ansiosa para se imunizar contra a covid-19, a fotógrafa Carolina Engler, que estava ontem no Centro de Saúde do Barão Geraldo, aprovou a vacinação do novo grupo. "É imprescindível essa vacinação. Só com a vacina, vamos conseguir salvar vidas. Foi tranquilo o atendimento, não teve nem dor e, agora, a ansiedade é para a segunda dose. Mesmo depois da segunda dose, vou manter as medidas de segurança, o uso de máscara e demais medidas", afirmou.

Feliz por ter sido vacinada, Daniela Jorge de Moura, professora da Engenharia Agrícola da Unicamp, foi também à unidade de Barão Geraldo. "Eu estou entre as pessoas que ficaram trancadas dentro de casa para evitar o contágio e não via a hora de vacinar. Acompanho cada passo, cada avanço, cada retrocesso e cada grupo que é anunciado para receber a vacina. Esta vacinação do Dia D estava sendo muito aguardada. Foi um avanço. Agora, vem a próxima etapa, que é a segunda dose. Mais três meses de ansiedade, porém, com mais tranquilidade por ter recebido a primeira dose", disse.

Dentre as pessoas que foram ontem ao Centro de Saúde de Barão Geraldo, estava a madre Joana D'Arc Pereira — com nome religioso de Irmã Eliana de Nossa Senhora do Carmo —, demonstrando muita gratidão.

"Apesar de ter comorbidade, eu não esperava ser atendida agora para receber a vacina. Por isso, estou muito agradecida a Deus por ter chegado minha vez. A vacinação foi tranquila e, agora, estou rezando para todos serem imunizados o mais rápido possível", revelou.

Escrito por:

Gilson Rei/Correio Popular