Valor de imóveis tem alta de 0,79%
Mercado em Campinas apresentou, em 2019, pequena reação após período de estagnação

Publicado 11/01/2020 10:48:16 - Atualizado 31/12/1969 21:00:00

Daniel de Camargo

Para Habicamp, apesar de ser um índice baixo, o aumento no valor de venda dos imóveis está sendo consistente

O valor de venda de imóveis residências em Campinas reagiu e fechou 2019 com ligeira alta de 0,79%, segundo o Índice FipeZap divulgado nesta semana. A análise considera a variação acumulada ao longo dos últimos 12 meses. No mesmo período, a média nacional mostrou estagnação (0%). Apesar de baixo, o resultado mostra uma reação, comparado a 2018, quando foi registrada uma queda média de 0,01% na cidade.
De acordo com a Associação das Empresas do Setor Imobiliário e da Habitação de Campinas e Região (Habicamp), o mercado imobiliário de Campinas emite sinais de lenta recuperação, após sete anos de crise econômica e recessão que atingiu o Brasil. A entidade destaca que até novembro passado, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, haviam sido geradas 1.314 novos postos de trabalho no Município no setor da construção civil.
No mês de dezembro, os imóveis residenciais comercializados em Campinas, segundo a pesquisa mensal, tiveram elevação de 0,10%, inferior aos 0,46% de novembro. Ainda conforme o levantamento, o valor médio do metro quadrado na cidade no mês passado foi de R$ 5.551,00, abaixo dos R$ 5.564,00 do mesmo mês de 2018. O valor, porém, é superior aos R$ 5.350,00 registrados em janeiro de 2019.
Presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho avalia que, apesar de ser um índice baixo, o aumento mostra que o valor de venda de imóveis residenciais está aumentando de forma consistente. "O índice mostra alta pelo segundo mês consecutivo, o que revela recuperação do mercado", analisa. "Isso fica ainda mais evidente quando olhamos o acumulado de outubro. Até então, vínhamos de um acumulado negativo de 1,46%", enfatiza.
Lima Filho também destaca outro ponto da pesquisa: o valor do metro quadrado. "Quando vemos que o valor médio do metro quadrado em Campinas, de R$ 5.551,00, é apenas o 18º entre as 50 capitais e maiores cidades analisadas, observamos que ainda há um grande caminho para a valorização dos imóveis nos próximos anos" , explica.

Balanço de 2019
Considerando a variação acumulada ao longo do último ano, o Índice FipeZap também permaneceu estável (0%). Comparando esse resultado à inflação prevista de 4,13% para o horizonte de 12 meses, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice FipeZap apresenta queda real de 3,97% nos últimos 12 meses.
Vale ressaltar que, comparativamente, o comportamento do preço nas cidades foi marcado pela heterogeneidade. Dentre as 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, Manaus (+3,61%), Vitória (+3,57%) e Florianópolis (+3,31%) apresentaram as maiores elevações de preço em 2019, enquanto Fortaleza (-8,07%), João Pessoa (-4,46%) e Curitiba (-2,66%) se destacaram com os maiores recuos. Finalmente, entre as cidades de maior peso no cálculo do Índice FipeZap, São Paulo apresentou uma alta acumulada de 2,26% em 2019, contrastando novamente com o comportamento dos preços no Rio de Janeiro (-2,25%). Em ambos casos, a variação foi inferior à inflação acumulada no período.
Preço médio de venda
Tendo como base a amostra dos imóveis residenciais anunciados para venda em dezembro de 2019, o preço médio calculado foi de R$ 7.235/m² entre as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap. Dentre elas, Rio de Janeiro se manteve como a capital monitorada com o preço do m² mais elevado (R$ 9.331/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.015/m²) e Brasília (R$ 7.346/m²). Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m², figuraram: Campo Grande (R$ 4.165/m²), Goiânia (R$ 4.211/m²) e João Pessoa (R$ 4.546/m²). 

Escrito por:

Daniel de Camargo

RECOMENDADAS