Publicado 14 de Janeiro de 2022 - 17h53

Por Gabriel Bueno da Costa*

A Argentina bateu recorde de casos da covid-19 desde o início da pandemia, nesta sexta-feira. O país teve 109.608 mil registros da doença, segundo o levantamento oficial.

De cada dez testes realizados no país, seis são positivos, informou o jornal Clarín.

Houve ainda 42 mortes pela doença confirmadas no país.

Alemanha

Na Alemanha, foram endurecidas restrições em bares e restaurantes, a fim de conter os casos da doença. O chanceler Olaf Scholz e autoridades estaduais determinaram que será necessário apresentar teste negativo da covid-19 ou comprovante de vacinação completa para frequentar esses ambientes.

No noticiário corporativo, o Citi informou que demitirá funcionários que se recusem a ser vacinados contra o vírus no fim de janeiro. A notícia foi obtida inicialmente pela Bloomberg.

México

No México, passageiros enfrentavam problemas com cancelamentos e atrasos nos voos, diante da nova onda global da covid-19. No aeroporto da capital, havia grandes filas de passageiros à espera de notícias sobre seus voos.

Segundo o site de monitoramento FlightAware, a principal companhia aérea do país, Aeroméxico, teve mais de 100 voos cancelados entre a quinta-feira e a manhã da sexta-feira.

Já no Equador, onde o vice-presidente Alfredo Borrero está com covid-19 (com sintomas leves), aulas foram suspensas no sistema público, diante do aumento do contágio de crianças.

O governo local informou que pretende agora acelerar a vacinação dos professores, como uma das formas de conter o problema.

O Panamá, que também enfrenta surto da doença atualmente, começou nesta sexta-feira a vacinar crianças entre 5 e 11 anos com doenças crônicas. A campanha seguirá posteriormente com as crianças em geral nesse grupo.

*Com informações da Associated Press

Escrito por:

Gabriel Bueno da Costa*