Publicado 14 de Janeiro de 2022 - 10h24

Por Renata Okumura

O governo de São Paulo realiza nesta sexta-feira, 14, uma cerimônia que marca o início da vacinação de crianças contra a covid-19. Às 12h, a primeira dose na faixa etária de 5 a 11 anos deve ser aplicada no Hospital das Clínicas da USP. A aplicação para o público-alvo em geral, no entanto, só está prevista para começar na capital paulista na próxima segunda-feira, dia 17.

O evento será semelhante ao que foi realizado em 17 de janeiro de 2021, quando a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, moradora de Itaquera, zona leste, com perfil de alto risco para complicações da covid-19, recebeu a Coronavac no braço. Da mesma forma, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), acompanhará a vacinação do público infantil. Ele é pré-candidato à Presidência da República e tenta mais uma vez antecipar a aplicação no Estado.

O primeiro lote com 1,2 milhão de doses da Pfizer, a única vacina autorizada para ser aplicada nesta faixa etária até o momento, chegou ao Brasil por volta das 4h45 de quinta-feira, 13. A remessa com 1,2 milhão de doses desembarcou no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Cerca de 248 mil doses são direcionadas ao Estado paulista. A imunização para a faixa etária de 5 a 11 anos deve ter atendimento preferencial ao público com deficiências, comorbidades, indígenas e quilombolas.

No mesmo dia em que recebeu as vacinas, o Estado de São Paulo abriu o pré-cadastro de crianças dos 5 aos 11 anos para a vacinação contra o coronavírus. Pais e responsáveis podem fazer o registro no portal Vacina Já.

Na quarta-feira, 12, Doria disse ainda que há expectativa de que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprove na próxima semana a aplicação da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, em crianças de 3 a 11 anos. "Caso isso aconteça, teremos condição de agilizar fortemente a vacinação não só em São Paulo, mas em todo o Brasil", disse.

A capital paulista deve começar a vacinação contra a covid-19 de crianças de 5 a 11 anos a partir da próxima segunda-feira, 17, conforme afirmou o secretário de Saúde, Edson Aparecido, à Rádio Eldorado na quinta-feira. A previsão é que as doses cheguem à capital paulista no fim da tarde desta sexta-feira.

Confira a lista de comorbidades consideradas para o atendimento prioritário na vacinação infantil em São Paulo, que devem ser comprovadas por exames, receitas, relatórios ou prescrições médicas:

- Insuficiência cardíaca

- Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar

- Síndromes coronarianas

- Valvopatias

- Miocardiopatias e Pericardiopatias

- Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas

- Arritmias cardíacas

- Cardiopatias congênitas

- Próteses valvares Dispositivos cardíacos implantados

- Talassemia

- Síndrome de Down

- Diabetes mellitus

- Pneumopatia crônicas graves

- Hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3

- Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo

- Doença cerebrovascular

- Imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)

- Anemia Falciforme

- Obesidade mórbida

- Cirrose hepática

- HIV

Escrito por:

Renata Okumura