Publicado 13 de Janeiro de 2022 - 11h08

Por Estadão Conteúdo

O tenista britânico Andy Murray não precisou vencer mais do que um set nesta quinta-feira para se garantir nas semifinais do ATP 250 de Sydney, na Austrália. Convidado da organização, o ex-número 1 do mundo levou a melhor na primeira parcial contra o belga David Goffin, marcando 6/2 em 46 minutos de disputa, e então viu o adversário desistir da partida.

Após avançar para a semifinal contando com a desistência do cabeça de chave número 8, Murray terá pela frente o potente saque do americano Reilly Opelka, quarto mais bem cotado ao título, que derrubou o compatriota Brandon Nakashima com 17 aces e 80% de aproveitamento com o serviço, anotando placar final de 7/6 (7/4) e 6/2.

Murray não teve um desempenho tão bom com o saque no único set da partida (66%), mas do outro lado Goffin só venceu metade dos pontos de serviço. Mais agressivo, o britânico terminou o jogo com mais bolas vencedoras (12 a 5), mas também cometeu mais erros não forçados (15 a 7).

Do outro lado da chave, o russo Aslan Karatsev segue fazendo valer a condição de principal favorito para chegar à semifinal. Ele bateu o italiano Lorenzo Sonego, cabeça de chave 5, em três sets - com parciais de 6/2, 3/6 e 6/2 - e agora vai encarar o britânico Daniel Evans, que derrotou o americano Maxime Cressy, finalista do ATP 250 de Melbourne na última semana, superado apenas pelo espanhol Rafael Nadal na decisão, por 2 a 0, com parciais de 6/4 e 7/6 (7/5).

Em Adelaide, outro ATP 250 desta semana na Austrália, pela segunda semana consecutiva Thanasi Kokkinakis disputará uma semifinal. Convidado para o evento, o australiano de 25 anos e 145.º do ranking manteve o embalo após a boa campanha no primeiro torneio da temporada. Nesta quinta-feira venceu um duelo local contra Aleksandar Vukic, 160.º colocado, por 6/7 (5-7), 6/3 e 6/2.

Agora com duas semifinais seguidas no circuito, Kokkinakis busca a sua segunda final de ATP na carreira. O seu adversário será o croata Marin Cilic, 29.º do mundo, em confronto inédito no circuito. A outra semifinal será entre os franceses Corentin Moutet, algoz do brasileiro Thiago Monteiro nas quartas, e Arthur Rinderknech.

FEMININO - O início de temporada de Daria Kasatkina segue com bons resultados. Depois de ter sido semifinalista de um WTA 250 em Melbourne na semana passada, a russa de 24 anos e 26.ª do ranking garantiu também uma vaga na semi do WTA 500 de Sydney. Ela venceu nesta quinta-feira a espanhola Garbiñe Muguruza, número 3 do mundo, por duplo 6/4.

Kasatkina tem agora nove vitórias contra jogadoras do Top 5, mas ela não vencia uma adversária desse nível desde 2018, quando bateu a dinamarquesa Caroline Wozniacki em Roland Garros. Naquele ano, a russa também atingiu o melhor ranking de sua carreira, quando ocupou o 10.º lugar em dezembro. Ela tem quatro títulos no circuito e busca a 10.ª final na carreira.

A adversária de Kasatkina na semifinal de Sydney será a espanhola Paula Badosa, número 9 do ranking, em duelo inédito no circuito. A tenista da Espanha, de 24 anos e dona de dois títulos, venceu a suíça Belinda Bencic por 7/6 (8/6), 3/6 e 6/3.

Do outro lado da chave, dois jogos muito rápidos. A estoniana Anett Kontaveit, número 7 do mundo, só precisou disputar um set contra a tunisiana Ons Jabeur e venceu a parcial por 6/4. Recém recuperada da covid-19, Jabeur havia dito no início da semana que não se sentia 100% pronta para jogar, ainda mais porque não conseguiu fazer uma pré-temporada completa.

Kontaveit enfrenta na semifinal a checa Barbora Krejcikova, número 4 do mundo e campeã de Roland Garros, que marcou 6/0 e 6/2 contra a francesa Caroline Garcia.

Escrito por:

Estadão Conteúdo