Publicado 12 de Janeiro de 2022 - 10h38

Por Estadão Conteúdo

Autoridades da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e da Rússia se reuniram nesta quarta-feira para tentar superar diferenças aparentemente irreconciliáveis sobre o futuro da Ucrânia. As negociações acontecem durante uma semana de diplomacia de alto risco e um esforço liderado pelos Estados Unidos para impedir os preparativos para o que Washington acredita ser uma invasão russa da Ucrânia. Moscou nega que esteja planejando um ataque. Ainda assim, seu histórico de ação militar na região preocupa a Otan.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Grushko, e o vice-ministro da Defesa, Alexander Fomin, posaram para a mídia diante do Conselho Otan-Rússia. Não houve aperto de mãos público.

Stoltenberg tuitou que "é uma oportunidade para o diálogo em um momento crítico para a segurança europeia. Quando as tensões são altas, é ainda mais importante que nos sentemos à mesma mesa e resolvamos nossas preocupações".

O encontro é o primeiro do tipo em mais de dois anos. O Conselho Otan-Rússia foi criado há duas décadas, mas reuniões regulares foram interrompidas quando a Rússia anexou a Península da Crimeia, que pertencia à Ucrânia, em 2014. Desde então, o conselho se reuniu apenas esporadicamente, a última vez em julho de 2019. Fonte: Associated Press.

Escrito por:

Estadão Conteúdo