Publicado 11 de Janeiro de 2022 - 11h32

Por Redação O Estado de S. Paulo

O valor máximo de aposentadorias e pensões pagas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) subirá de R$ 6.433,57 para R$ 7.087,22 em 2022. Esse também deverá ser o valor de referência máximo para calcular as contribuições à Previdência.

O valor é calculado com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), usado como referência para reajustes salariais e benefícios previdenciários, que ficou em 10,16% em 2021, segundo divulgou nesta terça-feira, 11, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Pela legislação federal, o índice de reajuste do benefício de aposentados e pensionistas que recebem valor superior ao do salário mínimo é definido pela variação INPC do ano anterior.

A portaria que oficializa o reajuste de aposentados que ganham acima de um salário mínimo ainda precisa ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) pelo governo federal.

Pela lei, aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte pagas pelo INSS não podem ser inferiores ao salário mínimo.

O piso de R$ 1.212 em 2022 não repõe a inflação do ano passado, já que incorporou a diferença do salário mínimo de 2021, que também tinha ficado abaixo da inflação do ano anterior.

Escrito por:

Redação O Estado de S. Paulo