Publicado 03 de Janeiro de 2022 - 17h06

Por Estadão Conteúdo

O Manchester United se caracterizou nesta temporada por ser salvo com gols decisivos nos minutos finais de Cristiano Ronaldo. Nesta segunda-feira, o time sentiu na pele o sentimento desagradável que causa nos rivais ao ser superado pelo Wolverhampton com gol no fim. Em pleno Old Trafford, desta vez a estrela que brilhou foi de outro português: João Moutinho garantiu a vitória de 1 a 0 dos visitantes pelo Campeonato Inglês.

No jogo 1100 da carreira de Cristiano Ronaldo, mais uma vez o Manchester United teve uma apresentação abaixo do esperado e acabou decepcionando seu torcedor. Mesmo no seu estádio, viu o Wolverhampton dominar a partida, criar as melhores chances e acabar premiado com um gol em chute de fora da área na reta final do segundo tempo.

Frustração de um lado, alegria extrema do outro. A vitória do Wolverhampton foi bastante comemorada pelo fim de um tabu que durava quase 42 anos. Desde fevereiro de 1980 que o time não triunfava no Old Trafford. Nesta segunda, os comandados de Bruno Laje se superaram em campo para acabar, ainda, com os recentes tropeços.

Depois de um início bom no Inglês, a equipe viu seu ataque "desaparecer" e anotar somente duas vezes nos últimos oito jogos. Curiosamente, em ambas acabou ganhando por 1 a 0. Repetiu a dose e não apenas complicou a situação do United na luta pelas competições europeias, como colou no rival.

Com a primeira derrota sob o comando do técnico Ralf Rangnick, o Manchester United figura na sétima colocação na tabela, com 31 pontos, com o Wolverhampton na cola, com 28, em oitavo. O Arsenal fecha o G4 com 35, a meta da equipe de Cristiano Ronaldo no momento, para ir à Liga dos Campeões.

Enquanto os jogadores do United não acreditavam no tropeço, os atletas do Wolverhampton festejaram a quebra do tabu como se tivessem conquistado um título. Foram muitos abraços, vibração inflamada e aplausos à torcida.

Escrito por:

Estadão Conteúdo