Publicado 02 de Janeiro de 2022 - 21h26

Por Eduardo Gayer

Pouco depois de o governo emitir nota oficial - com quatro dias de atraso - para cumprimentar o presidente eleito do Chile, Gabriel Boric, o presidente Jair Bolsonaro (PL) comentou pela primeira vez a vitória do líder de esquerda no país sul-americano. "Praticamente metade da população se absteve ou não foi votar. A outra metade foi votar e deu 55% para o tal do Boric", disse o presidente em transmissão ao vivo nas redes sociais.

De acordo com Bolsonaro, a nota enviada pelo governo somente hoje foi uma determinação sua. "Cheguei de viagem e determinei ao Itamaraty apresentar cumprimentos formais ao presidente eleito do Chile", afirmou o chefe do Executivo, que retornou hoje de férias de seis dias no Guarujá, litoral de São Paulo. O atraso em cumprimentos a presidentes eleitos em países estratégicos é uma prática incomum na diplomacia.

"Ao reafirmar a solidez dos laços de amizade e cooperação, o governo brasileiro assinala a disposição de trabalhar com as autoridades chilenas no fortalecimento das iniciativas bilaterais e regionais em prol dos objetivos de desenvolvimento econômico, de defesa da liberdade e da democracia e de respeito ao Estado de Direito", afirma a nota do governo.

Escrito por:

Eduardo Gayer