Publicado 02 de Janeiro de 2022 - 17h56

Por Eduardo Gayer

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta segunda, 27, que o governo federal está com dois ministros na Bahia, estado brasileiro que enfrenta graves problemas sociais após intensas chuvas: João Roma (Cidadania) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional). No entanto, Marinho só chega às regiões afetadas amanhã pela manhã, segundo informou ao Broadcast Político a assessoria de imprensa da pasta.

"Estamos com problemas em muitos municípios. Estamos com dois ministros lá, João Roma e Rogério Marinho", afirmou Bolsonaro em entrevista às emissoras CNN Brasil e SBT, após chegar a São Francisco do Sul, Santa Catarina, onde passará a festa de ano-novo.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional, Marinho chega à Bahia amanhã, mas a Defesa Civil, subordinada à pasta, já está em operação nas áreas afetadas para prestar socorro às vítimas das enchentes.

Como mostrou o Estadão/Broadcast Político, o governo reduziu em 43% a verba destinada à Defesa Civil entre 2020 e 2021. O órgão é responsável por combater enchentes e viu suas verbas empenhadas caírem de R$ 1,63 bilhão no ano passado para R$ 918,6 milhões neste ano

O presidente não pretende ir à Bahia neste momento, mas destacou na entrevista a ajuda oferecida pelo governo federal à região, como a liberação de R$ 20 milhões até o momento e a edição de uma Medida Provisória (MP) a ser publicada em janeiro. Não houve, contudo, detalhes sobre o texto em elaboração pelo governo.

Pronunciamento

Bolsonaro também informou na entrevista que gravou hoje uma mensagem de fim de ano. "Já convoco pessoal da esquerda a fazer superpanelaço para comemorar três anos sem corrupção", ironizou. O presidente e a primeira-dama Michelle foram alvo de panelaços em algumas regiões do País durante o pronunciamento de Natal.

Segundo apurou o Broadcast Político, a mensagem de ano-novo deve ser exibida em rede nacional de rádio e televisão no dia 31 de dezembro.

Escrito por:

Eduardo Gayer