Publicado 02 de Janeiro de 2022 - 17h06

Por Priscila Mengue e João Ker

Verão de retomada, mas com cuidados ainda necessários. Com o avanço da vacinação anticovid, a expectativa no litoral paulista é de temporada com praias cheias. O visual que turistas encontrarão não será o mesmo de antes do vírus, contudo. Parte das cidades da Baixada Santista e do Litoral Norte entregou projetos de remodelação da orla e novas atrações ao longo da pandemia e aposta em programação diária à beira-mar.

"É um verão diferente", diz o secretário de Turismo de Bertioga, Ney Carlos da Rocha, que fala em "demanda reprimida por sair". A expectativa é de público 20% a 30% superior ao do verão 2019/20, conta que considera a alta estimada de 15% da população na cidade na pandemia, por causa do trabalho remoto.

Médicos veem condições de flexibilizar diante do avanço da vacinação. Mas recomendam cautelas, como usar máscara e evitar aglomerações, diante do risco da variante Ômicron e da gripe.

Entre as novidades em Bertioga, há a remodelação da orla de duas praias: Rio da Praia e Enseada. A segunda inclui um novo complexo de esportes, como beach tênis, vôlei de praia e futevôlei. Há ainda novos quiosques. Letreiros com "Eu amo Bertioga" e similares foram colocados em três pontos, como a Avenida 19 de Maio. São ainda previstos shows, como Alok e Thiaguinho, e o Forte São João (do século 16) reabriu após restauro, com entrada grátis de terça a domingo (9h às 18h).

No Guarujá, o secretário de Turismo, Fábio Santos, fala em opções para além da faixa de areia. O principal exemplo é o Mirante das Galhetas, plataforma ao ar livre de 45 metros de altura, no Morro da Caixa D'Água, com vista para a Praia do Tombo. "Queríamos que o visitante, além da experiência contemplativa, fizesse imersão de caminhar quase sobre as nuvens", diz.

A entrada (8h às 20h) é gratuita e lá são recebidas doações de alimentos não perecíveis. A obra custou cerca de R$ 2 milhões, majoritariamente com verba federal, diz a prefeitura. Também foi inaugurado o Píer Antônio Villela, criado onde antes havia um bar, perto do Morro do Maluf.

Turistas e moradores não poupam elogios ao mirante, apesar da subida íngreme e mais sofrida sob o sol do verão, o que faz a maioria dos visitantes ir de carro, táxi e até de bicicleta, a depender do condicionamento físico. "Com o vidro ficou uma atração ímpar. É ótimo porque traz rotatividade ao local", avalia Éverton Santos, de 55 anos, que subiu pedalando diariamente nos últimos seis meses. Visitantes sugerem ampliar a estrutura lá em cima, com banheiros e bebedouros.

Guarujá ainda ganhou um ônibus turístico, com saídas às sextas e no fim de semana, a partir das 16h30. A duração é de duas horas, por R$ 25.

Pé na areia

Praia Grande aposta em mais atividades esportivas, culturais e de lazer na orla, com instalação de dez arenas (com temas distintos, de"melhor idade", geek - de videogames - a esportes radicais, com tirolesa a 100 metros, bungee jump e patinação no gelo), de quinta a domingo (9h às 22h). Há cinco espaços kids - uma das estruturas simula até um castelo de areia gigante. A entrada é grátis, com agendamento, de terça a domingo (10h às 17h45).

Uma das atrações de mais sucesso é a aula de zumba. Por lá, o verão vem embalado por passinhos do axé dos anos 1990, Tchakabum, Kid Abelha e sucessos recentes de Anitta.

"Ia ficar em casa! Só saí porque soube que teria zumba", conta a terapeuta holística Simone Perez, de 49 anos. Ela está entre os paulistanos que trocaram a capital pelo litoral na pandemia e não se arrepende. O único incômodo é com o aumento da sujeira na areia nas últimas semanas: "Precisa de mais conscientização."

Ao contrário dos vizinhos, Praia Grande terá fogos no réveillon. "Teremos milhares de turistas aproveitando o dia e, com certeza, com ou sem fogos, iriam à praia na virada", diz Maurício Petiz, secretário de Turismo e Cultura, que defende cuidados individuais, como vacina e máscara.

Mais atrações

Em Caraguatatuba, parte da programação será no Complexo Turístico do Camaroeiro. A 1ª fase das obras foi entregue, com pavimentação do acesso, 173 vagas de estacionamento, o paisagismo de 250 árvores e plantas e teatro de arena ao ar livre para 350 pessoas. Na Praça Antônio Fachini, as tradicionais barraquinhas de artesanato dão lugar a boxes fixos e há novos deques de cimento, bancos e quadra.

Em Santos, as principais novidades estão na Nova Ponta da Praia, perto do terminal de balsas. Lá foi aberto o novo Mercado de Peixes (7h às 18h), com 2 mil m² e boxes de venda de pescado e gastronomia. O espaço abriu em meados de 2020 dividindo opiniões, especialmente pela estética envidraçada e a demolição do antecessor. Na Ponta da Praia, foi entregue o centro de convenções (a fachada tem mural do artista Kobra com símbolos da cidade, como o bonde, o porto e Pelé), fonte interativa e novo calçadão.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Escrito por:

Priscila Mengue e João Ker