Publicado 30 de Dezembro de 2021 - 18h45

Por Iander Porcella

Depois de ir ao parque de diversões Beto Carrero World nesta quinta-feira, 30, o presidente Jair Bolsonaro (PL) visitou uma unidade da rede de lojas de departamento Havan, em São Francisco do Sul, no litoral de Santa Catarina. O chefe do Palácio do Planalto tem sido criticado por se recusar a interromper as férias mesmo em meio à emergência causada pelas fortes chuvas na Bahia.

Em vídeo publicado em suas redes sociais, Bolsonaro aparece na Havan recebendo um "kit praia" de funcionários da loja, que cantaram uma espécie de "grito de guerra" da rede. O presidente ganhou um cooler, uma bola de futebol, uma bandeira do Brasil e uma toalha de praia. Todos os objetos tinham estampa verde e amarela. Clientes da loja acompanharam a confraternização e tiraram fotos.

Dono da Havan, o empresário Luciano Hang é apoiador de Bolsonaro. Ao depor em setembro na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, que investigou omissões do governo na pandemia, ele reforçou postura negacionista, defendeu remédios sem eficácia contra a doença e disse que não havia se vacinado contra o coronavírus porque supostamente teria imunidade natural.

Neste mês, Bolsonaro disse que "ripou" funcionários do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) após uma obra de Hang ser paralisada em 2019 devido à descoberta de um artefato. Naquele ano, o Iphan emitiu nota informando que não determinou a paralisação, ao contrário do que afirma o empresário. Segundo o órgão, o pedido partiu do arqueólogo contratado pela própria empresa para supervisionar os trabalhos no canteiro de obras. A loja em questão foi construída em Rio Grande (RS).

Críticas

Bolsonaro tem tentado justificar sua ausência na Bahia. As enchentes no Estado já deixaram mais de 20 mortos e milhares de pessoas desabrigadas. Hoje, o presidente publicou em suas redes sociais uma compilação de vídeos em que aparece visitando locais onde ocorreram outras tragédias no País.

Ontem, Bolsonaro usou uma fala irônica do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para justificar o fato de não ter ido nesta semana à Bahia. "Eu acho que se o presidente descobrir a cura do câncer, ele vai ser criticado porque descobriu a cura do câncer", afirmou Marinho. Ao publicar o vídeo do ministro em suas redes sociais, Bolsonaro escreveu: "Bahia, nosso trabalho é solidariedade."

Bolsonaro está desde segunda-feira, 27, no litoral catarinense, onde deve passar o réveillon. O presidente tem reunido apoiadores na praia enquanto anda de moto aquática. Hoje, foi ao parque de diversões Beto Carrero World, na Penha, onde compareceu ao espetáculo 'Hot Wheels Epic Show!'.

No começo da semana, em conversa com apoiadores na praia, Bolsonaro disse que esperava não precisar voltar para Brasília antes de 3 de janeiro, data prevista para seu retorno oficial ao trabalho. O presidente manteve a rotina mesmo após se encontrar com o deputado Coronel Armando (PSL-SC), que testou positivo para covid-19.

Escrito por:

Iander Porcella