Publicado 30 de Dezembro de 2021 - 11h35

Por Estadão Conteúdo

A ATP diz apenas que tem 95% do Top 100 já imunizado contra a covid-19, enquanto que Djokovic não revelou publicamente se está vacinado ou não

Peter van den Berg/ USA TODAY Sports

A ATP diz apenas que tem 95% do Top 100 já imunizado contra a covid-19, enquanto que Djokovic não revelou publicamente se está vacinado ou não

A ausência de Novak Djokovic da ATP Cup repercutiu bastante durante o dia de entrevistas coletivas da equipe da Sérvia em Sydney. Sem o número 1 do mundo, o principal nome do time passa a ser Dusan Lajovic, de 31 anos e 33.º do ranking. Ele comentou nesta quinta-feira sobre a incerteza da participação de Djokovic também no Aberto da Austrália, que começa em 17 de janeiro.

As autoridades do estado de Victoria, onde é realizado o torneio, exigem o comprovante de vacinação para os participantes do primeiro Grand Slam do ano. Nos últimos dias, abriu-se a possibilidade para que profissionais não vacinados possam participar, desde que apresentem justificativa médica para isso. Não cabe à organização do torneio revelar o status de cada jogador. A ATP diz apenas que tem 95% do Top 100 já imunizado contra a covid-19, enquanto que Djokovic não revelou publicamente se está vacinado ou não.

"Não sei o motivo oficial. Talvez a ATP saiba, mas eu não sei. Ele apenas disse que não viria para a ATP Cup e que estava tentando chegar antes do Australian Open. Ficamos sabendo há um dia e meio ou algo parecido. Acho que estávamos todos esperando por uma decisão de última hora", disse Lajovic.

"Ele não especificou se vem ou não, mas está esperando uma decisão. Como eu disse, foi uma decisão de última hora. Não sei a informação, mas acho que saberemos nos próximos dias ou quando der o prazo ou seja qual for. Não sabemos agora. Espero que ele esteja lá e possa de jogar o Grand Slam", acrescentou o sérvio, que terá Filip Krajinovic, Nikola Cacic e Matej Sabanov como companheiros de equipe.

Lajovic também falou sobre o prejuízo esportivo para a equipe sérvia pela perda do principal jogador do time. A Sérvia está no Grupo A da competição ao lado de Noruega, Espanha e Chile. A estreia será já neste sábado diante dos noruegueses. "Nunca é a mesma coisa quando você tem o número 1 do mundo em sua equipe. É uma grande diferença. Obviamente, quando Novak está na equipe, as expectativas ficam muito maiores. Então, todo mundo é colocado no centro das atenções em Novak, é claro, e depois tenta empurrar toda a equipe".

"No momento talvez estejamos um pouco fora do radar. Isso pode ser bom ou ruim para nós. Vamos ver ainda. Mas certamente é diferente. Temos que ver o que acontece depois do torneio e como vai. Infelizmente, ele não pode vir aqui e temos que lidar com isso", completou.

Escrito por:

Estadão Conteúdo