Publicado 29 de Dezembro de 2021 - 15h00

Por O Estado de S.Paulo

Por Redação

Joan Didion, a reverenciada autora e ensaísta norte-americana que era identificada por suas posições liberais, morreu ontem, aos 87 anos, em sua casa, de complicações do mal de Parkinson.

Ela ficou conhecida por suas agudas observações sobre o sistema político americano e análises certeiras das mudanças comportamentais após a revolução hippie, nos anos 1960, sendo lembrada como autora de artigos históricos sobre o rapto da milionária Patty Hearst.

Seus livros tornaram-se referências no jornalismo literário, como a coleção de ensaios O Álbum Branco, (1979) e O Ano do Pensamento Mágico (2005) e Rastejando até Belém (1968), todos eles publicados no Brasil.

Tags: 87 ANOS

Escrito por:

O Estado de S.Paulo Redação