Publicado 22 de Dezembro de 2021 - 14h10

Por Estadão Conteúdo

Mesmo anotando 34 pontos e tendo uma boa atuação na noite da última terça-feira, LeBron James não conseguiu impedir uma nova derrota do Los Angeles Lakers na NBA. O 16º fracasso dos atuais campeões da liga de basquete dos EUA aconteceu diante do Phoenix Suns, por 108 a 90, resultado que faz a equipe da Califórnia estacionar na sétima colocação da Conferência Oeste. Após a partida, LeBron afirmou que é difícil saber até onde os Lakers podem chegar na temporada, sobretudo pela dificuldade de conseguir repetir as escalações de um jogo para o outro.

"Como podemos avaliar totalmente o que temos quando não estamos completos? Não me lembro da última vez em que jogamos com a mesma equipe titular e tivemos a mesma rotação saindo do banco", disse LeBron, em entrevista coletiva. "Obviamente, eles estão com força total e nós não, por isso é difícil ver onde estamos como equipe", completou o jogador.

Os Lakers enfrentaram os Suns, melhor equipe da temporada regular, com cinco desfalques: quatro jogadores afastados por causa dos protocolos de covid-19, além de Anthony Davis, que sofreu uma lesão no joelho e não deve mais atuar neste ano. Até mesmo o técnico Frank Vogel não esteve em quadra, também afastado em razão dos protocolos sanitários da NBA contra o novo coronavírus.

David Fizdale, que substituiu Vogel na partida, considera que LeBron vai usar sua experiência para encontrar um caminho para os Lakers. "Depois de todos esses anos, ele simplesmente não fica abalado com nada disso. Ele não é um culpado, ele não é um reclamão, ele não está apontando o dedo. Ele vai descobrir soluções", afirmou Fizdale, que já trabalhou com o astro do basquete no Miami Heat.

Para o principal jogador dos Lakers, que já classificou a temporada como o maior desafio de sua carreira, os atuais campeões da liga precisam se sentir confortáveis e desconfortáveis para superar os obstáculos que surgirem pelo restante da competição. LeBron e os demais jogadores dos Lakers ainda jogarão 50 partidas até o fim da disputa regular para conseguirem a recuperação.

Escrito por:

Estadão Conteúdo