Publicado 20 de Dezembro de 2021 - 7h37

Por Estadão Conteúdo

O Congresso dos Estados Unidos aprovou, na madrugada desta quarta-feira, 15, uma medida que aumenta o limite de endividamento do governo em US$ 2,5 trilhões, enviando ao presidente Joe Biden uma legislação que deverá empurrar o próximo impasse do teto da dívida para o período subsequente às eleições de meio de mandato de 2022.

O Senado votou 50-49 para aprovar a legislação ontem e, logo depois, a Câmara a aprovou por 221-209. O Departamento do Tesouro, que vem tomando medidas como suspender certos investimentos para conservar dinheiro, alertou aos parlamentes que poderia não conseguir cumprir as obrigações do país já na quarta-feira se o teto da dívida não fosse aumentado.

A aprovação final do aumento do teto da dívida pelo Congresso conclui semanas de negociações sobre o assunto. Os republicanos negociaram um acordo que permite que os democratas do Senado aumentem o limite de empréstimos com maioria simples, em vez de com os 60 votos normalmente necessários para fazer avançar a legislação no Senado.Esse acordo processual foi codificado em uma lei separada que o Senado aprovou na semana passada com apoio bipartidário. Fonte: Dow Jones Newswires.

Escrito por:

Estadão Conteúdo