Publicado 19 de Dezembro de 2021 - 10h16

Por Estadão Conteúdo

Os Estados Unidos estão se movendo para aumentar as sanções contra o Irã, enquanto os esforços diplomáticos para restaurar o acordo nuclear de 2015 vacilam. De acordo com altos funcionários do Departamento de Estado e do Tesouro, os EUA enviarão uma delegação, incluindo a chefe do Gabinete de Controle de Ativos Estrangeiros do Tesouro, Andrea Gacki, na próxima semana, aos Emirados Árabes Unidos - um importante aliado dos EUA, mas também o segundo maior parceiro comercial do Irã e um canal para as transações comerciais e financeiras do Irã com outros países.

As autoridades americanas se reunirão com empresas petroquímicas e outras companhias e bancos nos Estados Unidos. Eles alertarão que os EUA têm "visibilidade sobre as transações que não estão em conformidade com as sanções", disse um dos altos funcionários. "Esses bancos e empresas enfrentam riscos extremos se isso continuar." A visita pode ser seguida de sanções contra os Emirados e outras empresas, disseram as autoridades.

A mudança nos EUA ocorre em um momento em que as perspectivas de restauração do acordo nuclear de 2015 parecem cada vez mais sombrias. As negociações são retomadas nesta quinta-feira em Viena, entre Irã, Rússia, China, Grã-Bretanha, França e Alemanha, embora a delegação norte-americana viaje a Viena apenas no final de semana. O Irã se recusa a negociar diretamente com os EUA. Fonte: Dow Jones Newswires.

Escrito por:

Estadão Conteúdo