Publicado 18 de Dezembro de 2021 - 18h51

Por Estadão Conteúdo

Uma acusação de racismo marcou o jogo entre Leeds United e Arsenal, pela 18ª rodada do Campeonato Inglês, neste sábado. Integrantes do clube londrino confirmaram ter ouvido comentários racistas vindos de um setor da arquibancada onde estava a torcida mandante do Leeds no estádio Elland Road, na cidade de Leeds.

Aos 33 minutos do primeiro tempo, o zagueiro Rob Holding, que estava no banco de reservas do Arsenal, abordou o quarto árbitro e relatou ter ouvido comentários racistas de um torcedor do Leeds, que teria sido direcionado a um dos seus companheiros de equipe no banco de reservas. Mikel Arteta, treinador do Arsenal, também afirmou ter presenciado o crime em entrevista posteriormente.

"Sim, infelizmente eu posso confirmar. Um dos jogadores que estavam sentados no banco ouviu os comentários. É muito decepcionante porque nós já fizemos tanto no futebol para tentar evitar isso. A situação existiu e foi reportada, as autoridades devem lidar com isso. Eu não acho que seja justo um estádio inteiro pagar o preço. Houve um incidente isolado que deve ser registrado e agora as autoridades devem trabalhar com os clubes para entender o que ocorreu", afirmou o técnico do Arsenal.

Segundo informou a rede de TV britânica Sky Sports, a Premier League, responsável pela oganização do Campeonato Inglês, está investigando o caso. O técnico do Leeds United, Marcelo Bielsa, foi questionado sobre o tema após o jogo e foi breve ao comentar o assunto. "O que eu posso te dizer sobre esta pergunta? É óbvio que eu sou contra todo e qualquer ato de discriminação", afirmou.

A atitude tomada por Holding aconteceu quando o jogo estava 2 a 0 para o Arsenal, após os gols marcados pelo brasileiro Gabriel Martinelli. Pouco tempo depois, Bukayo Saka marcou o terceiro. O confronto da 18ª rodada terminou com vitória do Arsenal por 4 a 1 e foi o único realizado neste sábado, já que outros cinco jogos desta rodada foram adiados por conta da onda de covid-19 no Reino Unido.

Escrito por:

Estadão Conteúdo