Publicado 25 de Novembro de 2021 - 8h56

Por O Estado de S.Paulo

Por Redação

A Otan pediu ontem que a Rússia seja mais "transparente sobre suas atividades militares" na sua fronteira com a Ucrânia. O governo ucraniano estima que 100 mil soldados russos estejam estacionados na região. Kiev acusa Moscou de conduzir "guerra híbrida" na Europa.

Em apoio à Ucrânia, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, pediu nesta segunda, 15, que Moscou reduza as tensões criadas pela "concentração de forças" ao longo da fronteira. "Pedimos à Rússia que seja transparente com suas atividades militares, para reduzir as tensões e evitar qualquer escalada", disse Stoltenberg, ao lado do chanceler da Ucrânia, Dmitro Kuleba.

Em 2014, a Rússia anexou a Península da Crimeia, que era parte do território ucraniano. Agora, a Ucrânia suspeita que os russos planejem fazer o mesmo com regiões da Ucrânia como a bacia do Donets, onde grande parte de população é de origem russa.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Escrito por:

O Estado de S.Paulo Redação