Publicado 24 de Novembro de 2021 - 13h20

Por O Estado de S.Paulo

Por Redação

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, vai transferir o poder para a vice-presidente Kamala Harris nesta sexta-feira, 19, enquanto estiver sob anestesia para uma colonoscopia de rotina que fará como parte de seu exame físico anual, disse a secretária de imprensa da Casa Branca Jen Psaki em um comunicado.

"A vice-presidente trabalhará em seu escritório na ala oeste durante esse período", disse Psaki.

Biden chegou na manhã desta sexta-feira, 19, ao Walter Reed Medical Center para passar por um exame físico anual de rotina - seu primeiro exame físico no cargo como o mais velho presidente em primeiro mandato na história dos Estados Unidos.

É rotina um vice-presidente assumir os poderes presidenciais enquanto o presidente passa por um procedimento médico que requer anestesia. O então vice-presidente Dick Cheney fez isso em várias ocasiões, quando o presidente George W. Bush fez colonoscopias em 2002 e 2007, e a transferência segue o processo estabelecido na Constituição.

No início deste ano, a ex-secretária de imprensa do ex-presidente Donald Trump, Stephanie Grisham, deu a entender que o predecessor de Biden foi submetido a uma colonoscopia em uma visita secreta a Walter Reed em 2019, mas manteve o silêncio para evitar a transferência do poder presidencial para o então vice-presidente Mike Pence.

Em seu livro, Grisham não usa o termo colonoscopia, mas sugere que foi para isso que a viagem foi realizada. Ela diz que a visita de Trump ao hospital, que gerou especulações sobre sua saúde, foi um "procedimento muito comum". Ela também escreve que Bush teve um procedimento semelhante durante o mandato.

Grisham escreve que Trump não queria que o então vice-presidente Mike Pence estivesse no poder enquanto ele estava sedado, o que foi parte da razão pela qual ele manteve sua visita privada. Ele também "não queria ser alvo de piadas" na televisão, escreveu Grisham.

Biden, que completa 79 anos no sábado, é a pessoa mais velha a assumir a presidência na história dos Estados Unidos. Embora persistam as especulações sobre se ele vai concorrer à reeleição em 2024, ele disse que espera buscar um segundo mandato ao lado de Harris. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

Escrito por:

O Estado de S.Paulo Redação