Publicado 17 de Novembro de 2021 - 12h22

Por Estadão Conteúdo

Zagueiro e atacante disputavam uma bola na linha de fundo quando o argentino desferiu uma cotovelada no rosto do brasileiro. O atacante caiu no gramado e mostrou ao árbitro que estava sangrando

Reprodução

Zagueiro e atacante disputavam uma bola na linha de fundo quando o argentino desferiu uma cotovelada no rosto do brasileiro. O atacante caiu no gramado e mostrou ao árbitro que estava sangrando

O zagueiro Nicolás Otamendi apelou à ironia após dar uma cotovelada em Raphinha no empate entre Argentina e Brasil em 0 a 0, na terça-feira, em San Juan, pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022, no Catar. Em uma publicação do canal TyC Sports, que questionava se o lance era passível de expulsão, o defensor comentou que não foi falta: "Todo pelota" ("só bola", em português).

A agressão aconteceu aos 32 minutos do primeiro tempo do clássico. Zagueiro e atacante disputavam uma bola na linha de fundo quando o argentino desferiu uma cotovelada no rosto do brasileiro. O atacante caiu no gramado e mostrou ao árbitro que estava sangrando. O VAR checou o lance, mas ignorou a expulsão do defensor. Raphinha precisou levar cinco pontos na boca.

Na coletiva pós-jogo, o técnico Tite se revoltou com a atuação da equipe do VAR no lance. "É simplesmente impossível, vou repetir, é simplesmente impossível não ver a cotovelada do Otamendi no Raphinha. Isso ia determinar no resultado? Não sei. Grande jogo entre os dois? Grande jogo. Mas tem um componente que tem que ser igual. Árbitro de alto nível de VAR não pode trabalhar desta forma, é inconcebível. Não é o termo que queria dizer, estou falando esse porque sou educado", disse o técnico da seleção brasileira.

Líder e vice das Eliminatórias Sul-Americanas, Brasil e Argentina estão classificados para a Copa do Mundo no Catar. Outras duas vagas estão em disputa. O quinto colocado disputará a repescagem.

A seleção brasileira volta a campo só em 2022. O Brasil visita o Equador no dia 27 de janeiro, fora de casa, e recebe o Paraguai no dia 1º de fevereiro. Depois, encerra sua participação nas Eliminatórias no final de março, contra Chile (em casa) e Bolívia (fora).

Escrito por:

Estadão Conteúdo