Publicado 17 de Novembro de 2021 - 8h06

Por Sergio Neto

Bastante irregular em casa, o Santos aposta na força da sua torcida na Vila Belmiro para finalmente embalar no Brasileirão. O rival da vez é a Chapecoense, que já está matematicamente rebaixada à Série B do próximo ano. O técnico Fábio Carille terá bons reforços para o confronto desta quarta-feira, às 19 horas. O duelo é válido pela 33ª rodada da competição.

Oscilação é a marca do Santos no Brasileirão. Nos últimos cinco jogos, alternou entre vitórias, derrotas e um empate no último compromisso diante do Atlético-GO, em um jogo bastante comprometido pelo campo afetado pela chuva que caiu em Goiânia. Na Vila Belmiro, a história se repete. Desde julho que o time praiano não consegue duas vitórias seguidas em casa (bateu Athletico-PR e Independiente). Venceu o Grêmio, caiu para o América-MG, perdeu para o Palmeiras, derrotou o Red Bull Bragantino... e assim sucessivamente.

O Santos ainda segue ameaçado pela zona de rebaixamento. É o 12º colocado com 39 pontos. O Juventude, que é o primeiro time dentro do Z-4, soma 36. Anda restam seis rodadas para o fim da competição e uma vitória justamente contra a equipe que ocupa a lanterna do torneio pode ser o que precisa para a equipe praiana afastar de vez o fantasma do rebaixamento.

Para isso, Fábio Carille poderá contar com dois nomes importantes de se elenco. O principal reforço deverá ser Marinho. Pouco antes do compromisso em Goiânia, o jogador apresentou um quadro gripal e sequer deixou o hotel rumo ao estádio. Ele ficou então sob observação do departamento médico. Porém, já voltou a treinar normalmente e deve ser peça chave para o treinador.

Outro reforço é Diego Tardelli, que também não enfrentou o Atlético-GO pois foi poupado. As baixas, no entanto, também preocupam. No setor defensivo, Carille não poderá contar com Kaiky, que recebeu o terceiro quartão amarelo no último jogo e cumprirá suspensão automática, e Emiliano Velázquez, que segue sem previsão de retorno por sofrer de uma contusão no músculo posterior da coxa esquerda. Lucas Braga também é ausência pois também se recupera de um desconforto.

RETROSPECTO - Outro ponto positivo para o Santos se apoiar sobre a Chapecoense é seu retrospecto. Afinal, jogando na Vila Belmiro, o time da casa perdeu apenas três vezes para o rivais catarinenses. Além disso, foram apenas dois empates e oito triunfos santistas. Vencer o lanterna faz o Santos chegar bem perto dos 45 pontos, patamar que tradicionalmente 'garante' que o time não será rebaixado no Brasileirão.

A Chapecoense não sabe o que é uma vitória há 12 partidas. Se não bastasse o incômodo jejum, o time catarinense ainda tem de se preocupar com os desfalques. O técnico interino Felipe Endres terá de mudar praticamente todo o sistema defensivo. O goleiro Keiller foi liberado para resolver problemas particulares, dando lugar a João Paulo.

Na lateral-direita, Matheus Ribeiro, que foi titular em todos os jogos do Campeonato Brasileiro, cumpre suspensão. Ezequiel assume a função. Na zaga, Laércio e Jordan serão os titulares nos lugares de Ignácio (suspenso) e Joílson (com dores musculares). Apenas Busanello, na lateral-esquerda, seguirá entre os iniciantes.

Escrito por:

Sergio Neto