Publicado 16 de Novembro de 2021 - 18h36

Por Bárbara Nascimento

O Índice de Adequação de Estoques (IE) do comércio paulistano de novembro ficou praticamente estável, com recuo de 0,2% ante outubro de 2021. O indicador foi de 112,3 pontos para 112,0, conforme dados da FecomercioSP. Essa é a segunda queda consecutiva: em outubro, o IE havia recuado 1,0%.

A pesquisa mostra que a maior parte dos empresários, 55,6% - mesmo patamar do mês anterior -, considera que seu nível de estoque está adequado. Outros 29,5% avaliam que o estoque está acima do esperado, ante 30,4% em outubro. E 14,2% acreditam que o estoque está abaixo do ideal, ante 13,1% no mês passado.

Na comparação com igual mês de 2020, o IE teve avanço de 6,7%.

Porte

Quando o recorte envolve apenas grandes empresas, o Índice de Adequação de Estoques apresenta um recuo mais forte, de 4,4% ante outubro, após ter tido uma queda de 15,5% no mês passado. Diante da disfunção dos mercados globais, com dificuldade de logística e acesso a peças em alguns setores, a percepção é de que o nível dos estoques tem piorado.

Em novembro, o porcentual de empresários que acreditam que a situação atual de estoques é adequada caiu de 53,1% para 50,8%. O patamar dos que acreditam que o nível está abaixo do adequado, por sua vez, foi de 18,8% para 20,6%. Para 28,6% (de 28,1%), os estoques estão acima do previsto.

Entre as empresas de pequeno porte, o IE contraiu 0,1% na margem em novembro. A percepção de que os estoques estão adequados ficou estável em 55,7%. Outros 29,5% (de 30,5% em outubro) acreditam que o patamar está acima do esperado. E 14% (de 13%) avaliam estar abaixo do previsto.

Categorias

A percepção de piora na adequação dos estoques ocorreu sobretudo nas empresas que produzem bens duráveis, onde o índice caiu 4,1%. Entre as empresas de bens não duráveis e semi duráveis, o indicador apresentou aumento de 3,5% e 1,2%, respectivamente.

Escrito por:

Bárbara Nascimento