Publicado 14 de Novembro de 2021 - 21h40

Por Estadão Conteúdo

Após uma partida discretíssima no ataque do Palmeiras, Rony minimizou a derrota por 2 a 1, de virada, diante do Fluminense, em jogo realizado na noite deste domingo, no Maracanã, pela 32ª rodada do Brasileirão. O atacante mostrou estar focado na decisão da Libertadores, contra o Flamengo, no próximo dia 27, e aproveitou para alfinetar o gramado do estádio carioca, claramente irregular.

"Erramos muito, mas o campo também não ajuda. Não é só ganhando que se vive. Temos que continuar focados, pois tem ainda muita coisa para acontecer. Precisamos continuar com a cabeça erguida e com os pés no chão. Ainda tem muita coisa para o dia 27, temos muito a corrigir", destacou o jogador.

Rony aproveitou para destacar o próximo compromisso do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. O time de Abel Ferreira enfrenta o São Paulo nesta quarta-feira, às 20h30, no Allianz Parque. O time tricolor entra pressionado com a sequência de resultados negativos, enquanto o Palmeiras tenta definir a melhor equipe para a decisão da Libertadores, já que o título nacional acabou ficando distante.

"Temos que tirar lição dessa rodada, já pensando no clássico contra o São Paulo. Vamos focar no nosso próximo adversário, porque clássico é clássico", ressaltou o camisa 7, que pouco produziu na noite deste domingo mesmo atuando os 90 minutos.

Após o apito final, o clima esquentou entre jogadores de Palmeiras e Fluminense. Deyverson e Fred eram os mais exaltados. O capitão do time carioca acabou sendo expulso, enquanto o atacante alviverde levou o cartão amarelo, que o tira do duelo contra o São Paulo. Abel Ferreira também não contará com Dudu, expulso em discussão com Samuel Xavier.

"A situação nesses minutos finais acabou deixando o jogo nervoso. Mas faz parte do futebol, é de jogo", finalizou o camisa 7. Com o revés deste domingo, o Palmeiras acabou caindo para a terceira posição, com 58 pontos, dois a menos do que o Flamengo, na vice-liderança. O Atlético-MG segue na primeira posição, com 68.

Escrito por:

Estadão Conteúdo