Publicado 14 de Novembro de 2021 - 20h50

Por Estadão Conteúdo

Um projeto de lei de gastos sociais e climáticos desenvolvido pelos democratas da Câmara americana deve sofrer com os cortes já sinalizados pelo Senado. Orçado em US$ 2 trilhões, o programa inclui propostas como o jardim de infância universal, a expansão da Lei de Cuidados Acessíveis e a adoção de créditos fiscais de energia renovável.

Embora a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, espere por uma votação do projeto já na próxima semana, a legislação provavelmente será alterada para garantir uma chance de aprovação. Pelosi pode perder apenas três votos na Câmara, enquanto o líder da maioria, Chuck Schumer, não pode perder um único voto entre seus partidários no Senado.

O programa universal de pré-escola para crianças de 3 e 4 anos, os subsídios para cuidados infantis e os custos de saúde e créditos fiscais para reduzir as emissões de carbono são praticamente uma unanimidade entre o apoio dos democratas. No entanto, temas como impostos, imigração, licenças remuneradas e disposições climáticas podem não sobreviver no Senado.

Impostos

Alguns democratas de Estados com altos impostos, como Nova York e Nova Jersey, defendem o aumento do limite de US$ 10 mil para deduções estaduais e locais. Tentando amenizar os conflitos, a Câmara adicionou uma disposição que aumentaria o limite para US$ 72.500, começando no ano fiscal de 2021, e estenderia o limite até 2031. Os senadores Bernie Sanders e Robert Menendez disseram que se opõem à versão da Câmara, mas apoiam uma versão com um limite de renda para a dedução de impostos estadual e local.

Licença remunerada

Quatro semanas de licença parental, licença médica ou assistência médica remunerada também estão entre as propostas da lei. O programa foi pensado originalmente para atender a 12 semanas de licença e forneceria aos americanos uma parte de seus salários durante o período de ausência. O senador centrista da Virgínia Ocidental, Joe Manchin, disse que se opõe à inclusão da legislação de licença remunerada no pacote orçamentário atual.

Provisões Ambientais

Segundo o projeto da Câmara, as empresas seriam obrigadas a pagar taxas pelo metano emitido por poços de petróleo e gás, além de outras instalações. Elas também poderiam receber US$ 775 milhões em doações e outros subsídios para ajudar a pagar pelas reduções de emissões.

Os democratas da Câmara também incluíram um incentivo fiscal especial para a compra de veículos elétricos feitos com sindicatos. Segundo a lei, US$ 4.500 de um crédito fiscal total de US $ 12.500 para veículos elétricos estariam disponíveis apenas para carros, vans, SUVs e picapes feitos em fábricas sindicalizadas. Republicanos devem argumentar que o subsídio não é compatível com as regras do Senado, que exigem que os gastos tenham um impacto fiscal significativo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Escrito por:

Estadão Conteúdo