Publicado 13 de Novembro de 2021 - 23h40

Por Estadão Conteúdo

Um golaço para colocar o Corinthians na frente do placar em 2 a 1 e a assistência para Róger Guedes ampliar. Em sua posição original, a meia, Renato Augusto foi destaque na vitória sobre o Cuiabá, por 3 a 2, na Neo Química Arena, neste sábado à noite. Mesmo evitando polemizar com o técnico Sylvinho, o camisa 8 admitiu que se sente melhor "vindo de trás".

Nas últimas rodadas do Brasileirão, Renato Augusto foi escalado como um falso 9 e seu rendimento foi bem aquém do esperado. Torcedores chegaram a criticar Sylvinho por sacrificar o meia deixando-o enfiado entre marcadores, sozinho, lá na frente.

Diante do Cuiabá, com Jô de centroavante e Róger Guedes e Gabriel Pereira pelas beiradas, Renato Augusto voltou à armação e brilhou. Participou do primeiro gol ao achar Lucas Piton livre na beirada, no cruzamento preciso para Giuliano. Depois, após receber de Róger Guedes, fez um golaço de fora da área. Ainda tabelou com o atacante em nova pintura em Itaquera. Foi substituído na reta final da partida ovacionado.

"Os jogos pedem algumas situações, hoje fui mais para frente, fiz gol. Procuro jogar de acordo com a partida e com o que o técnico pede. Mas vindo de trás me sinto melhor", admitiu um satisfeito Renato Augusto.

Apesar da confissão, reafirmou que o bem do time vem na frente de suas predileções. "Quero o que for melhor pra o Corinthians. Fico feliz com o bom jogo, ainda mais pela vitória e vê-lo buscando ir direto para a Libertadores", ressaltou. O time mira o G-4 e está a dois pontos do Red Bull Bragantino, com um jogo a mais (52 a 50).

"Demos um passo importante e agora é se preparar para um jogo muito difícil na quarta-feira", seguiu, já focado na visita ao Flamengo, no Maracanã, na qual o lateral-esquerdo Fábio Santos retorna de suspensão.

O meia admitiu que fez seu melhor jogo neste retorno ao Corinthians e admitiu ainda estar buscando seu melhor preparo físico. "Ainda estou readquirindo o meu melhor. Esse ainda não é o meu normal", falou, para alegria do torcedor corintiano.

Escrito por:

Estadão Conteúdo