Publicado 13 de Novembro de 2021 - 18h55

Por Felipe Rosa Mendes

Após ficar aquém do esperado no sprint race do GP de São Paulo de Fórmula 1, Max Verstappen ironizou a punição sofrida neste sábado, por ter tocado no carro de Lewis Hamilton ao fim do treino classificatório, na sexta-feira. Multado em 50 mil euros (cerca de R$ 310 mil), o piloto holandês aconselhou os comissários da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) a usarem o dinheiro num "bom jantar, com vinho muito caro."

"Foi uma multa muito alta. Então, espero que eles tenham um bom jantar e muito vinho. Eu espero que seja um bom vinho, muito caro. Seria legal. Eles podem me convidar também. Eu posso pagar por esse jantar também", declarou o piloto da Red Bull.

O líder do campeonato foi punido neste sábado por ter tocado na asa traseira da Mercedes de Hamilton na sexta. As regras da F-1 impedem qualquer toque ou mudança nos carros ao fim das sessões na pista. Na ocasião, Verstappen foi conferir a distância das aletas do carro rival. As dúvidas da Red Bull levaram a FIA a investigar o monoposto de Hamilton.

A longa investigação, que começou na tarde de sexta e foi finalizada na tarde deste sábado, causou uma punição ainda maior ao inglês. Ele perdeu a pole position e precisou largar na última colocação no sprint race. Verstappen não sofreu mudanças em sua posição, somente a alta multa.

Como havia se classificado em segundo no treino de sexta, ele herdou a pole perdida por Hamilton. Mas não brilhou no sprint race. Foi ultrapassado por Valtteri Bottas logo na largada. Chegou a figurar em terceiro e terminou a minicorrida em segundo, posição em que irá largar no domingo.

"A largada não foi a melhor, mas também estávamos com o composto mais duro. Então isso também não ajudou", lamentou o piloto holandês. "A temperatura da pista caiu rapidamente e eu perdi um pouco da sincronia no câmbio."

Apesar disso, Verstappen saiu satisfeito com o desempenho do carro neste sábado. "Mesmo assim, acho que o ritmo estava muito bom, mas por aqui, quando você fecha, não dá para passar", comentou, referindo-se à dificuldade de ultrapassar a Mercedes. "Você sabe, eles são rápidos na reta, então você precisa de uma ótima última curva para poder passar, mas hoje não foi possível. Tentaremos novamente amanhã."

Escrito por:

Felipe Rosa Mendes