Publicado 13 de Novembro de 2021 - 12h10

Por Estadão Conteúdo

Como Fabio Quartararo já foi campeão entre os pilotos, assim como a Ducati garantiu o título dos construtores, o assunto da última etapa da MotoGP, em Valência, na Espanha, é a despedida de Valentino Rossi. Muitos torcedores presentes nas arquibancadas neste sábado erguiam bandeiras amarelas com o número 46 estampado durante o treino classificatório, encerrado com a lenda italiana na décima posição do grid.

O melhor tempo foi feito pelo espanhol Jorge Martín, que larga em primeiro no domingo, seguido pelo italiano Francesco Bagnaia, em segundo após cinco corridas seguidas na pole position, e o australiano Jack Miller, em terceiro. O campeão Quartararo teve uma queda e ficou com a oitava posição, atrás de Joan Mir, Johann Zarco, Alex Rins e Brad Binder. O japonês Takaaki Nakagami e Rossi completam o top 10.

Aos 42 anos, Valentino Rossi anunciou a decisão de se aposentar no início de agosto deste ano, no meio da temporada, após o recesso de verão. Nove vezes campeão mundial, com seis títulos na categoria principal da MotoGP somado a conquistas nas categorias 125cc, 250cc e 500cc, o piloto fez história na motovelocidade.

Campeão pela última vez em 2009, o italiano vinha conseguindo boas colocações finais no ranking mundial, inclusive com três vice-campeonatos entre 2014 e 2016, mas a inevitável queda de rendimento começou a aparecer e desde 2019, quando ficou em sétimo na temporada, ele vem piorando na classificação geral, com o 15º lugar em 2020 e a 20ª colocação na temporada atual.

A melhor colocação neste ano foi na Áustria, quando terminou em oitavo. Já a última vez que conseguiu terminar entre os três primeiros foi em julho do ano passado, quando ficou em terceiro lugar no GP de Andaluzia, seu 199º pódio da categoria principal. Fãs que gostariam de ver Rossi chegando ao número 200 se mobilizaram nas redes sociais para pedir que os adversários abram caminho para ele, que brincou com a possibilidade.

"Infelizmente, acho que é impossível, mas se eles me derem uma posição no pódio, ficarei muito feliz, pois será o 200º, então é importante. Posso pagar a eles ou talvez possamos fazer uma festa juntos pelo pódio e eu posso pagar tudo! Mas acho que não vai acontecer", comentou o piloto em entrevista.

A corrida de despedida de Valentino Rossi tem início marcado para as 10 horas deste domingo, no Circuito Ricardo Tormo, em Valência, na Espanha.

Escrito por:

Estadão Conteúdo