Publicado 12 de Novembro de 2021 - 17h44

Por Iander Porcella

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou nesta sexta-feira que a alta de preços nos Estados Unidos é um fator de preocupação para o presidente norte-americano, Joe Biden, mas criticou o que considerou ser um "debate político" sobre a inflação.

"A inflação está impactando os americanos independentemente do partido político", disse Jen Psaki durante uma entrevista coletiva.

A assessora afirmou também que o pacote de investimentos em infraestrutura aprovado pelo Congresso, que prevê cerca de US$ 1 trilhão em gastos com obras públicas, não vai gerar pressão inflacionária, mas sim aumentar a produtividade. Esse é um argumento que Biden também tem repetido em seus discursos.

Conforme dados publicados nesta semana pelo Departamento do Trabalho dos EUA, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu em outubro no maior ritmo anual em três décadas. O indicador atingiu 6,2% no acumulado em 12 meses, o que não ocorria desde 1990.

Na coletiva, Psaki ressaltou que os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) esperam uma desaceleração da alta dos preços ao consumidor em 2022.

A porta-voz também voltou a dizer que o governo americano considera algumas opções para reduzir os preços da gasolina, uma das principais fontes de inflação no país.

Psaki reforçou que os EUA têm pressionado a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) a aumentar de forma mais rápida sua produção da commodity energética, cujo preço impacta diretamente o custo da gasolina. Com mais oferta do cartel no mercado, as cotações do barril provavelmente recuariam.

Escrito por:

Iander Porcella