Publicado 13 de Outubro de 2021 - 12h48

Por Redação

Um terremoto de magnitude 6.1 na escala Richter foi registrado em Chiba, província vizinha a Tóquio, no noroeste do Japão. De acordo com a Agência Meteorológica do japonesa (JMA), o abalo sísmico foi registrado às 22h41 (10h41 em Brasília) desta quinta-feira, dia 7. Ainda de acordo com a agência japonesa, o epicentro do terremoto foi localizado a 80km de profundidade, abaixo da cidade de Chiba, capital da província de mesmo nome. Os efeitos, contudo, foram sentidos também em Tóquio.

As linhas de energia tremeram no distrito de Suginami, na capital do país, e as linhas de trem superexpressos "Shinkansen" foram temporariamente interrompidas. A televisão pública NHK mostrou uma placa pendurada no teto de seu escritório balançando violentamente. Outro vídeo, divulgado no Twitter da emissora, mostra a reação das pessoas na rua enquanto o chão treme.

Desde a noite de quinta-feira, (manhã de quinta no Brasil), pelo menos oito tremores de menor intensidade foram registrados em território japonês. Citando autoridades japonesas, a Associated Press informou que foi descartada a chance de tsunami após o terremoto. Prédios chegaram a tremer, mas não há relatos de danos significativos ou relatos de mortos e feridos.

O novo primeiro-ministro, Fumio Kishida, postou uma mensagem no Twitter instando as pessoas a "verificarem as informações mais recentes e tomar medidas para proteger suas vidas".

A Agência Meteorológica do Japão classificou a intensidade sísmica do terremoto na categoria 5+, que tem como efeitos previstos a queda de móveis não bem fixados e dificuldade de locomoção para a maioria das pessoas. A categorização de intensidade da agência vai até o 7, quando há risco maior de construções desabarem e móveis serem arremessados do solo. (Com agências internacionais).

Escrito por:

Redação