Publicado 10 de Outubro de 2021 - 19h21

Por Estadão Conteúdo

A derrota da Bélgica para a Itália por 2 a 1, neste domingo, no Juventus Stadium, em Turim, pela decisão do terceiro lugar da Liga das Nações, provocou um forte desabafo do meia Kevin De Bruyne, astro do Manchester City e um dos grandes destaques da seleção belga. Em declarações no modo "sincerão", o jogador avaliou a dificuldade da equipe nacional para alcançar uma decisão e tentar coroar a boa geração com um título.

"Com todo o respeito, nós somos só a Bélgica. Temos uma nova geração, mas sentimos falta de muitos jogadores de alto nível, como Eden (Hazard) e Romelu (Lukaku)", afirmou De Bruyne em entrevista à emissora de TV belga RTL Sport, citando dois dos principais jogadores do país, que foram liberados da partida deste domingo contra os italianos.

"Nós precisamos ser realistas com a equipe que temos. Itália e França têm 22 jogadores no topo. Nós não temos tantos jogadores de ponta", prosseguiu o meia.

A badalada "geração belga" colocou a seleção entre as principais do mundo nos últimos anos, tanto que o país lidera o ranking da Fifa há mais de três anos. O time nacional chegou à semifinal da Copa do Mundo em 2018, quando eliminou o Brasil nas quartas; depois às quartas de final na Eurocopa, eliminada pela Itália, que viria a conquistar o título; e, na Liga das Nações, uma semifinal com sabor de decepção, após abrir 2 a 0 sobre a França e levar a virada por 3 a 2 no segundo tempo.

Os melhores resultados da seleção belga na história ainda são o vice-campeonato europeu de 1980 e o ouro olímpico nos Jogos de Antuérpia-1920, em casa. Para levar a Bélgica a "outro patamar", De Bruyne sabe o que falta. "Nós devemos agora obter resultados contras as grandes equipes", resumiu o meia.

Escrito por:

Estadão Conteúdo