Publicado 10 de Outubro de 2021 - 17h41

Por Wilson Baldini Jr.

O pugilista britânico Anthony Joshua exige revanche imediata e uma segunda luta contra o ucraniano Oleksandr Usyk deve ser realizada em março de 2022. O anúncio foi feito, neste final de semana, pelo empresário Eddie Hearn, que cuida da carreira do boxeador do Reino Unido.

Com isso, uma unificação de título na categoria mais importante do boxe, a dos pesos pesados, só deverá ocorrer no segundo semestre do próximo ano.

Eddie Hearn só não deixou claro onde será o segundo combate. Oleksandr Usyk revelou após a vitória do último dia 25, no estádio do Tottenham, em Londres, diante de 70 mil espectadores, o desejo de defender o cinturão na Ucrânia, na capital Kiev, onde o prefeito é seu amigo e ex-campeão mundial Vitaly Klitscko.

A luta entre Anthony Joshua e Oleksandr Usyk foi um sucesso financeiro. Segundo a imprensa britânica, o duelo que teve a vitória do lutador ucraniano, por pontos após 12 assaltos, rendeu cerca de 50 milhões de libras (cerca de R$ 366,5 milhões na cotação atual).

O espetacular público, que pagou em média 250 libras por um ingresso, rendeu 15 milhões de libras na bilheterias do estádio, enquanto que 80 camarotes vips lucraram mais 800 mil libras. A transmissão da luta pelo sistema pay per view e pelo DAZN para 170 países, incluindo o Brasil, acumulou mais 35 milhões de libras. Isso sem contar a venda de alimentos, camisetas, posters, revistas e outras recordações do super evento. Valor que pode atingir mais 10 milhões de libras.

Oleksandr Usyk, além dos cinturões da Associação Mundial de Boxe (AMB), Federação Internacional de Boxe (FIB) e Organização Mundial de Boxe (OMB), recebeu 10 milhões de libras, enquanto que Anthony Joshua, apesar da derrota, levou para casa 30 milhões.

Escrito por:

Wilson Baldini Jr.