Publicado 10 de Outubro de 2021 - 16h56

Por Estadão Conteúdo

Acabou o amor! A derrota do Palmeiras por 4 a 2 para o Red Bull Bragantino no sábado, em casa, teve os primeiros efeitos poucas horas após o apito final da partida, que marcou o quarto jogo sem vitória da equipe no Brasileirão. Pela madrugada, os muros do estádio Allianz Parque foram pichados com críticas à diretoria, Abel Ferreira e o elenco alviverde.

Entre as pichações escritas estão "elenco vagabundo", "salário de G-4, futebol de Z-4", "diretoria omissa" e "Mauricio Banana", esta última direcionada ao presidente Mauricio Galiotte. Até mesmo a história envolvendo o vizinho chato do técnico palmeirense foi lembrada, com a frase "Abel, seu vizinho tem razão, honre sua palavra".

A relação com a torcida começou a estremecer ainda na arquibancada. Se antes do início do confronto Abel teve o nome gritado pela torcida, o técnico português ouviu dos mesmos torcedores os gritos de "burro". Após o jogo, ele reconheceu o jogo ruim do Palmeiras e prometeu uma reação para a sequência da temporada.

"Somos o Palmeiras e jogue quem jogar, os mais experientes ou mais jovens é o Palmeiras. Todos nós temos responsabilidade e tenho que achar soluções", prometeu.

Vale ressaltar que o Palmeiras foi a campo com uma equipe bastante modificada, sem poder contar com Danilo (canelite), Felipe Melo (suspenso), Gabriel Menino (suspenso), Gustavo Gómez (convocado), Joaquín Piquerez (convocado), Marcos Rocha (lesão na coxa direita), Mayke (cirurgia no joelho), Weverton (convocado) e Zé Rafael (trauma no tornozelo).

Classificado para final da Copa Libertadores - enfrenta o Flamengo em Montevidéu no dia 27 de novembro -, o Palmeiras ocupa a terceira posição do Brasileirão com 39 pontos, 14 a menos que o líder Atlético-MG. O próximo compromisso do time alviverde na competição será na terça-feira, às 21h30, contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Escrito por:

Estadão Conteúdo