Publicado 10 de Outubro de 2021 - 7h36

Por Felipe Rosa Mendes

Em confronto de grandes em crise, Santos e Grêmio se enfrentam às 16 horas deste domingo, na Vila Belmiro, em clima de tensão e cobrança, em busca quase desesperada pela vitória no Brasileirão. Os dois times fazem campanhas decepcionantes. O time paulista entrou na zona de rebaixamento no sábado, por conta das vitórias de Sport e Bahia no sábado, e está apenas dois pontos à frente do rival gaúcho (25 a 23), já mergulhado na zona de risco há algumas semanas.

O time paulista vive situação ligeiramente melhor que a equipe liderada por Luiz Felipe Scolari. Apesar da fase ruim, vem de empate em clássico, fora de casa, com o São Paulo. No Morumbi, o Santos marcou gol pela primeira vez sob o comando de Fábio Carille, em seu quinto jogo, e ganhou elogios do treinador.

Para Carille, o time santista mostrou evolução, embora tenha repetido erros em diferentes setores. As falhas, contudo, parecem não ter abalado a confiança da equipe, motivada pela chance de voltar a jogar na Vila Belmiro com torcida. O estádio, que não recebe torcedores desde março de 2020 devido à pandemia de covid-19, terá 4.644 santistas nas arquibancadas.

"É uma alegria ver as pessoas se vacinando e voltando aos estádios. Todo mundo gosta de acompanhar e apoiar o time do coração. E essa ausência estava fazendo falta para a torcida santista e também para nós dentro de campo. Estamos muito felizes com esse retorno dos torcedores e esperamos dar essa vitória para eles no domingo, pois eles merecem demais", comenta o volante Jobson, que poderá ser opção de Carille neste domingo.

Sem jogar desde janeiro, por conta de uma grave lesão no joelho direito, ele voltou ao banco de reservas no clássico. E pode aparecer na equipe até mesmo como titular, porque Camacho apresentou cãibras na panturrilha direita e deixou mais cedo o duelo com o São Paulo, na quinta. Se não tiver condições de jogo, pode dar lugar a Vinícius Balieiro ou ao próprio Jobson.

A escalação para este domingo é uma incógnita. Carille já deixou claro que pode fazer novos testes na equipe, como aconteceu no clássico. Ele começou o jogo no esquema 3-5-2, mas sacou um dos zagueiros no segundo tempo, mesmo sem reforçar a proteção da defesa. O time jogou melhor, mas correu mais riscos.

Neste domingo, ele pode voltar a escalar Emiliano Velázquez e Wagner Leonardo ao lado de Balieiro, que é volante de origem. Ou pode começar com Balieiro no meio-campo. Vinícius Zanocelo agradou Carille e deve ser mantido. Já Carlos Sánchez, mesmo sendo o autor do gol santista na quinta, pode perder espaço para Gabriel Pirani. No ataque, Diego Tardelli pode começar como titular, na vaga de Léo Baptistão

Ainda sem encontrar a formação ideal, o treinador não esconde o desconforto com a sequência negativa do Santos. Sem vencer há 11 jogos na temporada, o time exibe o maior jejum desde 1986, quando acumulou a mesma sequência de tropeços. Se ficar longe dos três pontos novamente, a equipe santista alcançará sua quarta maior série sem vitórias da história, atrás apenas do jejum de 16 jogos de 1922 e de 14 tanto em 1982 quanto em 1921.

O Grêmio, por sua vez, tentará estender essa sequência santista. Vivendo momento ainda mais complicado, o time gaúcho corre risco de rebaixamento. Felipão pode até ser demitido em caso de derrota na Vila Belmiro. Enquanto o Santos ainda pensa em brigar pela parte superior da tabela, o Grêmio já faz contas para fugir da queda.

A equipe gaúcha está há três jogos sem vencer. Nessas três partidas, poderia ter saída da zona de rebaixamento, em caso de vitória. Para não desperdiçar nova chance, Felipão quebra a cabeça para mudar o time. E todos os setores poderão ter novidades, até mesmo no gol. Há dúvida entre Brenno e Chapecó.

Da mesma forma, a zaga pode ter Rodrigues ou Kannemann formando dupla com Ruan. O argentino tem menos chances de ser titular porque vem reclamando de dores no quadril. No meio-campo, Ferreira e Campaz disputam vaga, enquanto no ataque Churín pode ganhar a posição de Diego Souza, longe dos seus melhores dias.

Sem esconder a preocupação, o treinador pode até surpreender com o jovem atacante Elias. O jogador de apenas 19 anos ganhou a atenção de Felipão nos últimos treinos e pode ser opção para o segundo tempo.

Escrito por:

Felipe Rosa Mendes