Publicado 09 de Outubro de 2021 - 7h06

Por Estadão Conteúdo

A obrigação de conquistar os três pontos, neste sábado, às 16h30, no Mineirão, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro diante do Ceará, aumentou para o Atlético-MG, após o empate, por 2 a 2, frente à lanterna Chapecoense, quarta-feira, em Santa Catarina. Todos no clube contavam com a vitória frente ao último colocado para se distanciar ainda mais na liderança da competição.

"Acabou sendo um empate amargo. Queríamos somar mais três pontos, mas infelizmente não conseguimos. Está sendo muito puxado, são muitos jogos seguidos. Está psicologicamente todo mundo cansado, abatido pela eliminação na Libertadores. É difícil, mas precisamos focar", disse o atacante Hulk, que ressaltou também o destaque físico e psicológico pela disputa até as semifinais da Copa Libertadores.

O atacante Sasha, que saiu do banco para fazer o gol de empate diante da Chapecoense prefere ressaltar as 16 partidas de invencibilidade do time no Brasileiro e o poder do elenco. "O grupo todo está de parabéns, vem numa sequência muito boa de invencibilidade, a gente tem que destacar isso, não é fácil ficar tantos jogos sem perder no Campeonato Brasileiro. A gente está no caminho certo, é não relaxar, não acomodar achando que as coisas vão acontecer naturalmente."

A força do grupo atleticano é importante para manter o time afastado das derrotas, mesmo com a ausência de sete atletas no jogo em Santa Catarina. Contra o Ceará são seis os atletas que o técnico Cuca não poderá contar: Guilherme Arana, Alan Franco, Júnior Alonso (todos convocados para participar das Eliminatórias)), Vargas, Mariano e Diego Costa (lesionados).

O Atlético é o primeiro colocado, com 50 pontos, e 23 partidas, enquanto o Ceará soma 29 pontos, em 13º lugar, em 22 duelos disputados.

CEARÁ DESFALCADO - O técnico Tiago Nunes tem dois problemas para escalar o Ceará. O goleiro Richard viajou com o grupo, mas está com lesão de grau 2 na coxa. Já o zagueiro Marlon cumprirá suspensão automática.

Sem poder contar com Richard, que não atuou no empate sem gols com o Internacional, o técnico confirmou a manutenção de João Ricardo. Já a defesa treinou com Messias e Luiz Otávio. O time ainda conta com nomes como Vina e Fernando Sobral.

"Estamos trabalhando para tornar a equipe do Ceará cada vez mais consistente e equilibrada. É uma equipe muito competitiva fisicamente, que tem se tornado cada vez mais compacta no jogo, nas compactações para circulação de bola, na fase defensiva também, tendo uma marcação muito próxima ao adversário. Dentro disso, a gente tem evoluído", ressaltou Tiago Nunes.

O treinador seguirá apostando em um ataque formado por três atacantes. Os escolhidos foram Kelvyn, Erick e Cléber. Tiago Nunes não tem feito mistério e vem prometendo colocar em campo o que tem de melhor a cada momento.

Sem perder há três jogos, o Ceará ocupa a 13ª posição, com 29 pontos, a seis da zona de rebaixamento e do G-6. Em sexto, o Red Bull Bragantino tem 35.

Escrito por:

Estadão Conteúdo