Publicado 09 de Outubro de 2021 - 7h06

Por Estadão Conteúdo

A derrota em casa para o Fortaleza, no meio de semana, derrubou o Fluminense para o 9° lugar do Brasileirão, sob risco de não obter vaga na Copa Libertadores. Irritados, torcedores vaiaram e protestaram contra o presidente Mário Bittencourt. Neste sábado, às 16h30, novamente no Maracanã, a equipe encara o Atlético-GO e o capitão Fred apela ao "incentivo das arquibancadas" pela busca da reabilitação e do resgate ao projeto Libertadores.

O Fluminense está sete pontos atrás dos cearenses, hoje ocupando a última vaga do G-4 - times que vão direto à fase de grupos - e a ordem é voltar à luta para terminar entre os melhores. Na visão de Fred, o clube carioca tem de disputar a competição sul-americana todo ano. Como Flamengo (2°) e Palmeiras (3°) fazem a final da Libertadores, a vaga sem necessidade de disputa da fase prévia deve se estender ao quinto colocado. Hoje quem figura na posição é o Corinthians, com 37 pontos.

"Como capitão do time, peço a vocês que forem ao Maracanã, que nos incentive do começo ao fim. Toda vez que vaiam um jogador, dói na alma, não só a mim, como todos que estão lá. E somos um só, colocou a camisa do Fluminense, somos um só", implora Fred à torcida. "A gente sabe que precisa do apoio de vocês, precisamos ir para a Libertadores do ano que vem, é o lugar que o Fluminense tem de estar todo ano", seguiu.

Fred deposita as grandes proezas dos últimos anos na conta do torcedor e espera que seu apelo seja atendido por um triunfo contra os goianos que deixaria a equipe novamente bem na luta pela vaga. Vale lembrar que o G-4 se transformou em um G-9 com equipes do País mas finais da Libertadores e da Copa Sul-Americana.

"Vocês foram fundamentais na arrancada em 2009, onde ninguém acreditava (fuga do rebaixamento após matemáticos darem 99% de risco de queda) e vocês jogaram com a gente. Era um time limitado e se tornou imbatível. Foi assim nem 2010 no título, em 2012 (bicampeonato nos pontos corridos). Vocês mudam a história, vocês são nossos pulmões lá nas arquibancadas."

Mesmo derrotado para o Fortaleza, com apresentação decepcionante, o técnico Marcão não deve mexer na escalação do Fluminense. A ordem é dar voto de confiança à equipe considerada ideal. E a esperança pelos gols seguiria n o trio formado pelo experiente Fred e os jovens Caio Paulista e Luiz Henrique.

As recomendações da prefeitura do Rio sobre os protocolos de proteção contra a covid-19 receberam um "alívio". O protocolo mudou e para o jogo deste sábado não será exigido teste para quem tem ciclo completo de vacina.

ATLÉTICO-GO APOSTA NA FORÇA MÁXIMA - Sem desfalques em relação ao revés por 2 a 0 frente ao Athletico-PR, em Goiânia, o técnico Eduardo Souza poderá escalar o que considera ideal diante do Fluminense. O treinador ainda terá uma novidade: o lateral Igor Cariús cumpriu suspensão e está à disposição.

O atleta, no entanto, não tem presença confirmada entre os titulares. Eduardo Souza ensaiou algumas alterações, a fim de dar nova cara ao time que vem caindo de produção nos últimos jogos. No caso de Igor Cariús, a disputa por posição é com Natanael. Mas as mexidas podem acontecer do meio para frente.

Matheus Barbosa treinou entre os titulares e pode ganhar posição de Baralhas no meio-campo. O ataque, por sua vez, deve ser formado por Ronald, Zé Roberto e André Luís, mas Lucão corre por fora na luta por uma vaga entre os 11 que iniciarão o embate.

"O que nos incomoda e nos deixa frustrado é o fato de não confirmamos aquilo que somos capazes de fazer. Tirando o jogo contra o Athletico, dentro do Antonio Accioly não teve uma equipe que nos dominou por completo. Jogaram em cima do nosso erro sendo equipes reativas", comentou o goleiro Fernando Miguel, um dos mais experientes do elenco. "O futebol tem demonstrado que a questão financeira já não é mais tão decisiva. Existe a identidade e a maneira própria de ser. Isso é o que estamos tentando colocar em prática. Temos uma identidade bem definida e poderíamos ter conquistado resultados melhores." A derrota para os paranaenses deixou o Atlético-GO na 11ª colocação, com 30 pontos.

Escrito por:

Estadão Conteúdo