Publicado 14 de Setembro de 2021 - 18h04

Por Guilherme Bianchini

A MB Associados espera um aumento de 1,25 ponto porcentual da taxa Selic em setembro, mesmo após o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, sinalizar que os juros não devem subir em ritmo tão intenso quanto o previsto pelo mercado.

"Com uma inflação de 10% e com todos os riscos pela frente, sinalizar esse cenário é complicado. Não me parece que os modelos do BC vão indicar um quadro tranquilo para a inflação. O presidente fala isso agora, mas não necessariamente vai acontecer", analisa o economista-chefe da MB, Sergio Vale.

Para o economista, a sinalização de uma alta de juros mais lenta pode dificultar o controle das expectativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2022, além de atrasar a reaceleração do crescimento. "O aumento de 1 ponto é possível, mas não deveria ser o caso. A avaliação conjuntural está virando unanimidade, com todo mundo revisando câmbio, inflação e Selic para cima. O BC dá um tom mais suave do que deveria", diz Vale.

Escrito por:

Guilherme Bianchini