Publicado 13 de Setembro de 2021 - 19h56

Por Eduardo Gayer e Francisco Carlos de Assis

Citando estudos que dão conta de que o Brasil tem prejuízo de R$ 100 milhões a cada dia que deixa de implementar o 5G, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse que se coloca à disposição do conselheiro da Anatel, Moisés Queiroz Moreira, para dirimir suas dúvidas.

Para o ministro, o atraso na implementação do 5G envolve, além desse prejuízo, os investimentos que deixam de ser feitos.

"Sem falar em todos os investimentos indiretos que o 5G traz. Sem falar também que o País que sai na frente em tecnologia tem um ganho maior em relação a outros competidores", disse o ministro. As afirmações foram feitas em coletiva que se seguiu ao término da sessão da Anatel que fazia a análise final do 5G e que teve, por parte do conselheiro, pedido de vistas para que o Ministério envie mais informações sobre o tema.

Faria reiterou que há muito mais coisas envolvidas com o atraso do que simplesmente o prejuízo em dinheiro.

"Nós estamos lutando, por exemplo, para ultrapassar o Chile, que saiu na nossa frente. Hoje já temos condições de ser o primeiro país da América Latina a colocar o 5G. Então eu não queria imaginar que ia ter algo que não fosse em prol do País", lamentou o ministro.

Ele disse que assumiu o ministério com a missão de entregar o 5G no Brasil e levar conexão para quem não tem. "Por isso é que cada dia que a gente perde isso me incomoda demais. Então eu quero me colocar à disposição do conselheiro Moisés Queiroz Moreira para que a gente possa rapidamente vencer todas as dúvida que ele venha a ter", disse.

Escrito por:

Eduardo Gayer e Francisco Carlos de Assis