Publicado 12 de Setembro de 2021 - 20h27

Por Paulo Favero/AE

O Corinthians entrou em campo com muitos desfalques, como Jô, Renato Augusto, Luan, Gil e Adson, mas o principal deles foi o meia Willian

Rodrigo Coca/Agência Corinthians

O Corinthians entrou em campo com muitos desfalques, como Jô, Renato Augusto, Luan, Gil e Adson, mas o principal deles foi o meia Willian

O Corinthians empatou com o Atlético-GO por 1 a 1, fora de casa, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, em uma partida que contou com uma polêmica do VAR, o árbitro de vídeo. Neste domingo, o time paulista sofreu a igualdade no final do duelo e, após rever o lance algumas vezes, o árbitro Antonio Dib Moraes de Sousa validou o gol. Com o resultado, o time chegou aos 29 pontos, enquanto o time de Goiânia chegou aos 26.

O Corinthians entrou em campo com muitos desfalques, como Jô, Renato Augusto, Luan, Gil e Adson, mas o principal deles foi o meia Willian, que tinha condições de jogar, mas foi barrado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em sua reestreia pelo clube. Ele até vinha treinando para ser titular, mas por causa de sua viagem do Reino Unido para o Brasil, precisa fazer uma quarentena de 14 dias.

O técnico Sylvinho inclusive contava com ele para organizar o meio-campo do time. Mas para evitar problemas, a diretoria alvinegra optou por não permitir que o jogador atuasse e ele retornou para São Paulo. "Fomos avisados pela Anvisa e pela Vigilância Sanitária, então ele voltou para São Paulo em voo fretado, isolado, e segue em quarentena até ser liberado", explicou o presidente Duílio Monteiro Alves.

Willian seria o cérebro do Corinthians em uma partida contra um time que nos últimos meses vem incomodando bastante. E a ausência do meia fez com que o time não conseguisse produzir muitas jogadas. Apesar de ter a posse de bola, não conseguia traduzir esse domínio em melhores chances.

Os visitantes tiveram uma boa chance com Fagner, aos 21, que chutou de longe e o goleiro Fernando Miguel fez ótima defesa. Depois foi a vez de Roger Guedes, que cabeceou com perigo após cruzamento de Fagner. Do outro lado, o Atlético-GO tinha muitas dificuldades para chegar ao gol de Cássio, bem protegido pelo sistema defensivo alvinegro.

Na etapa final, o jogo mudou com uma jogada individual do jovem Gabriel Pereira, que teve a chance de ser titular após os desfalques ofensivos do Corinthians. Aos 14, ele partiu em velocidade pela direita, driblou sua marcação e finalizou com perfeição, abrindo o marcador para a equipe paulista. Foi o primeiro gol dele nos profissionais.

Pouco depois o Atlético-GO teve a chance de empatar, mas Cássio salvou e na sequência João Victor evitou o gol em cima da linha. Natanael, em cobrança de falta, exigiu boa defesa do goleiro corintiano. Aos 43 minutos, em uma cobrança de falta, Zé Roberto empatou de cabeça, mas na jogada Montenegro estava impedido. Os árbitros na cabine do VAR recomendaram ao árbitro Antonio Dib Moraes de Sousa a revisão do lance, por participação de Montenegro na jogada. Mas o árbitro de campo optou por validar o gol, irritando os corintianos, que lamentaram o empate no fim.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-GO 1 x 1 CORINTHIANS

ATLÉTICO-GO - Fernando Miguel; Dudu (Ronald), Wanderson (Oliveira), Éder e Igor Cariús (Rickson); Willian Maranhão (Lucão), Baralhas e João Paulo (Montenegro); Arnaldo, Zé Roberto e Natanael. Técnico: Eduardo Barroca.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner (Du Queiroz), João Victor, Raul Gustavo e Fábio Santos; Gabriel, Roni (Vitinho), Giuliano (Araos) e Gabriel Pereira (Xavier); Roger Guedes e Gustavo Mosquito (Marquinhos). Técnico: Sylvinho.

GOLS - Gabriel Pereira, aos 14, e Zé Roberto, aos 43 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Willian Maranhão, João Paulo, Igor Cariús, Zé Roberto, Raul Gustavo e Fábio Santos.

ÁRBITRO - Antonio Dib Moraes de Sousa (PI).

RENDA E PÚBLICO - Jogo sem torcida.

LOCAL - Estádio Antônio Accioly, em Goiânia (GO).

Escrito por:

Paulo Favero/AE