Publicado 11 de Setembro de 2021 - 21h31

Por Estadão Conteúdo

O título do US Open conquistado por Emma Raducanu neste sábado, após vitória por 2 sets a 0 sobre a canadense Leylah Fernandez, encerrou um jejum de 44 anos sem conquistas de tenistas britânicas em um Grand Slam. Por isso, a notícia foi recebida com euforia por todo o Reino Unido, inclusive pela rainha Elizabeth II, que escreveu uma mensagem para parabenizar a jovem tenista de 18 anos por aquilo que ela chamou de um "feito notável".

"Envio meus parabéns a você pelo sucesso em vencer o Aberto de Tênis dos Estados Unidos. É um feito notável para alguém tão jovem, e é um testemunho do seu trabalho árduo e dedicação. Eu não tenho dúvidas de que o seu desempenho excepcional e sua adversária Leylah Fernandez irão inspirar a próxima geração de tenistas", diz a rainha, em texto publicado no site oficial da Família Real.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, também mostrou empolgação com a conquista, parabenizando Raducanu com uma publicação no Twitter. "Que partida sensacional! Parabéns, você mostrou habilidade, postura e coragem extraordinárias. Todos nós estamos orgulhosos de você", escreveu o político.

A partida deste sábado não foi histórica apenas em razão da quebra do jejum envolvendo tenistas britânicas. Raducanu saiu da quadra ostentando outras marcas expressivas, como ter se tornado a primeira da história a vencer um Grand Slam após passar pelo qualifying. O caminho foi construído com dez vitórias, sem perder um set sequer até levantar o troféu do US Open no Arthur Ashe Stadium, a quadra central do torneio.

Além disso, a jovem de 18 anos, atual número 150 do mundo, se tornou a segunda jogadora de pior ranking da história a conquistar um Major. Com o título, ela vai integrar o Top 30 pela primeira vez. Essa foi apenas a segunda participação da tenista na disputa de um Grand Slam.

A própria formação da final já havia sido marcante, uma vez que reuniu duas estreantes em finais de Grand Slam. Outro detalhe é que foi a decisão de US Open com finalistas mais jovens desde 1999, ano em que Serena Williams, na época com 17 anos, e Martina Hingis, com 18, decidiram o título. Leyla Fernandez e Raducanu nasceram em 2002, mas a canadense completou 19 anos no último dia 6 de setembro, enquanto a britânica atingirá a mesma idade daqui um mês, no dia 13 de novembro.

Escrito por:

Estadão Conteúdo